Categorias

Notícias em O melhor do bairro de Butantã, São Paulo, SP

sexta-feira, 01 de março de 2013
Fernando Haddad nomeia o chefe de gabinete da subprefeitura do Butantã

Foi nomeado pelo prefeito Fernando Haddad o chefe de gabinete da subprefeitura do Butantã: José Roberto Canassa.

A indicação foi feita pelo vereador Aurélio Miguel (PR) e atendeu alguns requisitos exigidos pelo prefeito Haddad para estes cargos: não tem histórico de processos na justiça, mora na região do Butantã e já trabalhou na coordenadoria de esportes da subprefeitura.

José Roberto Canassa foi diretor de patrimônio do São Paulo Futebol Clube e vice presidente da Federação Paulista de Judô.

Junto com Aurélio Miguel, fez uma uma ação em 2010 para tentar anular a reeleição de Juvenal Juvêncio para presidente do São Paulo em 2011.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012
Butantã prepara testes de vacina contra dengue

O Instituto Butantã espera iniciar em um mês em São Paulo os testes em voluntários para o desenvolvimento de uma vacina brasileira contra o vírus da dengue. 
A expectativa é de que até 2015 o medicamento seja colocado à venda no País. 
O médico imunologista Jorge Kalil, um dos responsáveis pela vacina, diz que o início dos primeiros testes com seres humanos depende apenas da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). 

Esta é a segunda fase da pesquisa, que teve início a partir de um produto desenvolvido desde 2005 em laboratórios norte-americanos.
"Pretendemos iniciar em 30 dias essa nova etapa, que deve se prolongar pelos seis meses seguintes", afirma Kalil.
Ele explica que a terceira fase será aleatória, com testes cegos em pessoas expostas a áreas com altos índices de casos de dengue, em experimentações que vão durar outros seis meses.
"Depois disso, se tudo ocorrer como o planejado, enviaremos um dossiê para os órgãos de saúde para posterior aprovação", afirma Kalil.
No País, porém, há outra vacina sendo testada. O laboratório francês Sanofi Pasteur atua em cinco capitais brasileiras (Campo Grande, Fortaleza, Goiânia, Natal e Vitória) para verificar os efeitos, que até o momento têm sido parciais - o medicamento mostrou capacidade para proteger contra três das quatro cepas virais causadoras da doença.
Caso seja aprovada, a vacina do laboratório francês poderá ser colocada no mercado em 2014. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo
BRUNO DEIRO - Agência Estado 

quinta-feira, 21 de junho de 2012
Trocas e Cancelamentos de linhas de ônibus trazem dificuldades a usuários da zona oeste

Moradores da região do Rio Pequeno e Butantã reclamam de mudanças realizadas pela SPTrans no Jardim Adalgisa e Vila Dalva.

Os ônibus da linha 719R/10 Rio Pequeno/Metrô Barra Funda, que originalmente passam na rua Rui Amaral Lemos, serão transferidos para a av. Gustavo Berthier, 139.
Já a rua Rui Amaral Lemos passa a ser ponto inicial da linha 7725/10 Rio Pequeno – Metrô Vila Madalena.

A linha 775A/10 Jardim Adalgiza – Metrô Vila Mariana, terá seu ponto alterado em 20 metros, na Av. Gustavo Berthier, passando do número 193 para o 139.

Também em função da topografia do bairro, o itinerário da linha 775V/10 Rio Pequeno – Metrô Santa Cruz será alterado, mas seu ponto inicial será mantido na Praça Nilton Vieira de Almeida.

Apesar de serem trocas de linhas, os moradores da região não receberam qualquer tipo de orientação ou aviso de que essas mudanças aconteceriam, o que tem causado grande confusão na comunidade.
Outro problema é que os ônibus têm demorado mais para passar – de 30 em 30 minutos, e quando passam, vêm lotados. O problema piorou após o início do funcionamento do Metrô Butantã.

A São Paulo Transporte (SPTrans), em resposta às reclamações, informa que as mudanças são necessárias em função das características topográficas do bairro dificultarem a operação de veículos do tipo piso baixo, fundamentais para a acessibilidade do sistema municipal de transportes.

Fonte: Jornal Oeste News(Edição Maio de 2012)

domingo, 10 de junho de 2012
Começou o Festival de Sopas da CEAGESP

O Festival de Sopas CEAGESP, versão 2012, começou no dia 30 de maio, no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), na Vila Leopoldina, capital, entrada pelo Portão 3, na av. Dr. Gastão Vidigal.
O evento vai até o dia 2 de setembro. Cada pessoa poderá servirse à vontade das sopas por R$ 21,90. Serão cinco tipos por noite, incluindo a sopa de cebola gratinada e normal.

O restaurante funcionará quarta, quinta, domingo (das 18h até a 1h) e às sextas e sábados, das 18h até às 4h da madrugada.
O local do evento, neste ano, ficará no antigo prédio do Unibanco, num espaço mais confortável e aconchegante, bem próximo ao Portão 3 do ETSP. O estacionamento é gratuito.

Neste ano, mais uma vez também serão oferecidas novas opções de sopas, toda a semana, permanecendo sempre os dois tipos de sopa de cebola.
Haverá opção ainda de couvert (cobrado à parte), além de uma carta de vinhos chilenos e argentinos e sugestões de sobremesas.

Realizado desde 2009, durante as comemorações dos 40 anos da CEAGESP, o Festival já caiu no gosto dos paulistanos.
O evento está praticamente incorporado ao calendário gastronômico de inverno da cidade de São Paulo.
No ano passado, mais de 35 mil pessoas experimentaram os mais de 40 tipos diferentes de sopas servidas junto com as tradicionais sopas de cebola.

História da Sopa de Cebola
Ícone da CEAGESP, a sopa de cebola fez muito sucesso no final da década de 60 e começo de 70, no período da construção do ETSP, na Vila Leopoldina.
Nessa época, o prato era servido para os comerciantes atacadistas no antigo restaurante Ceasa.
A iguaria repercutiu tanto entre os comerciantes, e depois entre os compradores que vinham madrugar no antigo Ceasa, que acabou fazendo fama na cidade, muito carente, à época, de locais que servissem comida na madrugada.

Desde o fechamento do antigo restaurante, o sabor daquele prato que aquecia as madrugadas frias da então "terra da garoa", como São Paulo era conhecida, permanece até hoje no imaginário dos paulistanos.
Quando foi realizada a primeira edição do Festival de Sopas, na programação dos 40 anos da CEAGESP, o sucesso e a aprovação foram tão grandes que o evento passou a ser anual.
Por isso, durante o período de inverno, a CEAGESP prestigia todos os amantes da sopa e até quem não conhece, mas ouve falar muito do prato, com a realização do Festival, que chega neste ano à sua quarta edição.

Serviço
Quarta, quinta e domingo, das 18h à 1h Sexta e sábado, das 18h às 4h
Preço: R$ 21,90 (por pessoa) buffet self service de sopas (à vontade), couvert opcional cobrado à parte
Pagamento: Dinheiro, VR, cartão de débito e crédito Visa e Mastercard
Onde: No antigo prédio do Unibanco Entrada pelo Portão 3 (Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 - Vila Leopoldina) Estacionamento: gratuito no local
http://festivaldesopasceagesp2012.wordpress.com/

Fonte:Jornal Oeste News(Edição Maio de 2012)

 

segunda-feira, 04 de junho de 2012
Orquestra Raposo Tavares está de volta e abre inscrições

O maestro João Maurício Galindo, junto à Subprefeitura Butantã, convida mais uma vez, crianças e adolescentes, entre 10 e 17 anos, para o projeto de formação de músicos para a futura Orquestra Raposo Tavares. A iniciativa é gratuita e acontece na Casa de Cultura do Butantã.

As aulas, com ênfase em música erudita e popular, têm como objetivo habilitar crianças e jovens da região a manusear instrumentos de corda (violino, contrabaixo, viola e violoncelo). As turmas são formadas por 30 alunos, e as aulas têm duração de três meses, sendo duas realizadas no período da manhã e duas no período da tarde. As lições são coletivas e não há exigência de conhecimentos prévios. A Casa de Cultura Butantã disponibiliza 120 vagas no total.

As inscrições estão abertas desde o dia 18 de abril e devem ser feitas na Casa de cultura Butantã, que fica na rua Junta Mizumoto, 13, Jardim Peri-Peri, das 10 às 15 horas.

Mais informações pelo telefone 3742-6218.

Fonte: Jornal Oeste News

< Anterior | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | Próximo >