Alterar Região
Categorias

Notícias em O melhor do bairro de Butantã, São Paulo, SP

quarta-feira, 21 de maio de 2014
Butantã ganha praça de alimentação a céu aberto: Butantã Food Park

Alinhado com nova Lei Municipal que regulamenta a comida de rua, Butantan Fook Park oferece alimentos rápidos com toque de alta gastronomia

 

 


Preparações requintadas, feitas para serem saboreadas na hora e vendidas em veículos sobre rodas, os food trucks, têm espaço garantido no Butantã. Inaugurada na manhã desta terça-feira (20/05), a área gastronômica Butantan Food Park pretende ser atração obrigatória dos engravatados e moradores da região.

Barracas, trailers, motocicletas e outras formas itinerantes de vender comida dividem a atenção em mais de 1600 metros quadrados. Mesas e bancos de madeira, distribuídos de maneira informal, oferecem conforto aos visitantes.

Verdadeiras miniaturas de cozinha, os restaurantes móveis oferecem diariamente cardápios dos mais variados, assinados por chefes renomados da Cidade. Os pratos inspirados em comida de boteco vão de sanduíches a entrecôte e fritas, passando por massas frescas e sorvetes naturais. Sucos gaseificados artesanais e taças de vinho estão entre as opções de bebidas disponíveis. 

A praça de alimentação a céu aberto pretende, também, oferecer feiras de produtos orgânicos e promover eventos e festivais. Os preços acessíveis e a proximidade com a linha Quatro-Amarela do Metrô estão entre os atrativos da novidade.

Idealizado pelos organizadores da Feirinha Gastronômica, realizada aos domingos na Praça Benedito Calixto, em Pinheiros, o espaço é parte de um projeto de revitalização da região, que reúne esforços da iniciativa privada e da Subprefeitura Butantã.

Praça revitalizada

Outro exemplo desta parceria para revitalizar a área central do bairro é a praça Oliveira Penteado, que fica no entroncamento do acesso à Marginal Pinheiros e as pontes Eusébio Matoso e Bernardo Goldfarb. Depois da reforma, conduzida por uma grande empresa que se instalou no bairro, o espaço, que era um problema de segurança pública na região, agora conta com mobiliário moderno, espelho d’água, bicicletário e grandes áreas ajardinadas.

 

Serviço: Butantan Food Park. Rua Agostinho Cantu, 32 – Butantã. Segunda a terça, das 11h às 15h; e das 16h às 20h; quarta a sexta, das 11h às 16h; e das 17h às 22h, sábados, das 11h às 0h, domingos, das 11h às 19h. Entrada gratuita.

Fonte: Subprefeitura Butantã

segunda-feira, 19 de maio de 2014
Nova galeria de águas pluviais na R. Alvarenga com Afrânio Peixoto: solução para os problemas crônicos de alagamento na região

A obra de drenagem, iniciada em abril, vai escoar a água acumulada das chuvas, evitando os constantes alagamentos na região

 

 

Sob a supervisão da Subprefeitura Butantã, uma obra importante e aguardada há muito tempo pela população está sendo realizada a todo o vapor: a nova galeria de águas pluviais no entroncamento da rua Alvarenga com av. Afrânio Peixoto, junto à entrada principal da Cidade Universitária, no Butantã. 

A obra de drenagem, iniciada em abril, contratada pela Secretaria Municipal das Subprefeituras, vai escoar a água acumulada das chuvas através da nova galeria de águas pluviais (GAP), com grande capacidade, evitando, assim, os constantes e antigos alagamentos na região. 
 
A galeria terá 214 metros de extensão, com poços de visitas, bocas de lobo e ramais. A obra, já em andamento, vai do cruzamento da avenida Afrânio Peixoto com a rua Alvarenga, seguindo pela portaria 1 da Cidade Universitária até a praça Prof. Reinaldo Porchat, desaguando no trecho final do Córrego Pirajussara. 
 
Os frequentes alagamentos que ocorrem há anos no local afetam os moradores, estudantes, professores e funcionários da universidade, além de prejudicar o intenso tráfego de veículos, inclusive de grande porte, muitos deles em direção às rodovias Raposo Tavares e Régis Bittencourt. A obra toda foi estimada em R$ 2.950.000, com previsão de término até o fim do mês de setembro deste ano. 

Fonte: Subprefeitura Butantã

sexta-feira, 25 de abril de 2014
Jaguaré bate recorde de casos de dengue

SÃO PAULO - Campeão de casos de dengue em São Paulo neste ano, o distrito do Jaguaré, na zona oeste, já registra a maior incidência da doença por bairro desde 2010, último dado disponível no site da Secretaria Municipal da Saúde.

Bairro tem entulho acumulado em duas avenidas - Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão
Bairro tem entulho acumulado em duas avenidas

Em toda a cidade, foram 3.050 casos de dengue no ano, 70% a mais do que no mesmo período do ano passado e número recorde para os quatro primeiros meses do ano. O Jaguaré, que tem 0,44% da população paulistana, responde por 16% do total de casos.De acordo com o mais recente balanço da Prefeitura, antecipado nesta quinta-feira, 24, pelo Estado, o distrito chegou a 1.010 casos por 100 mil habitantes neste ano. O recorde anterior de um bairro foi registrado há quatro anos, quando o Butantã, também na zona oeste, teve 393,4 casos por 100 mil habitantes. Acima de 300, o índice já é considerado alto pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mesmo com o surto, ainda há descaso do poder municipal e da população em relação ao controle dos criadouros do mosquito Aedes aegypti. O Estado esteve no bairro ontem e encontrou vias tomadas por lixo.

Na Avenida Onófrio Milano, a montanha de sujeira e entulho é tanta que sobra apenas uma pequena faixa para a passagem de veículos. "Faz uns dois meses que está assim. A coleta fica até 15 dias sem passar", disse a estudante Viviane Albuquerque, de 17 anos.

A um quarteirão dali, na Avenida Torres de Oliveira, a situação é semelhante. "Tem um monte de potinho e latinha que juntam água quando chove e facilitam a criação do mosquito", disse o serralheiro Antonio Joaquim Vicente Junior, de 31 anos, que trabalha na frente do lixão a céu aberto. Ele pegou dengue há 15 dias. "Perdi 10 quilos nesse período porque não conseguia comer, só vomitava, era muita fraqueza", contou.

Ponto Viciado. Questionada sobre o lixo, a Prefeitura afirmou que a coleta domiciliar é feita diariamente na região. Informou também que alguns locais, como a Avenida Torres de Oliveira, recebem a Operação Cata Bagulho semanalmente. A administração disse que as avenidas citadas pela reportagem "são pontos viciosos de lixo e entulho" e é necessária a colaboração da população. O descarte irregular é crime ambiental, com multa de até R$ 15 mil.

A Secretaria da Saúde disse que continua intensificando as ações de combate aos criadouros do mosquito no bairro, com visitas domiciliares diárias. "A cada notificação, os agentes visitam a casa do doente para eliminar criadouros", disse Wilma Morimoto, da Coordenação de Vigilância em Saúde.
Fabiana Cambricoli - O Estado de S. Paulo
25 de abril de 2014 | 3h 00

 

quarta-feira, 16 de abril de 2014
Comemoração dos 20 Anos da Distrital Butantã da ACSP

ROTEIRO PARA SOLENIDADE EM COMEMORAÇÃO AO 20º ANIVERSÁRIO DA DISTRITAL BUTANTÃ DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO

 

DATA: 16/04/14 (quarta-feira) - HORÁRIO: 19h30

LOCAL: ACSP – Distrital Sudoeste – Rua Alvarenga, 591

MESTRE DE CERIMÔNIA: Arnédio Bastos Oliveira Neto

 

1) O Mestre de Cerimônia dá boas vindas aos convidados e compõe a mesa dos trabalhos

1.  Rogério Pinto Coelho Amato - Presidente da Associação Comercial de São Paulo e da Federação das Associações Comerciais de São Paulo

2. Roberto Mateus Ordine - Vice-Presidente e Coordenador Geral das Sedes Distritais

3.  Moacir Roberto Boscolo – Coordenador Regional Oeste das Sedes Distritais

4.  Ernani Parise - Diretor Superintendente da Distrital Butantã

5.  Maria Rosa da Silva– Chefe de Gabinete da Subprefeitura do Butantã representando neste ato Luiz Felippe de Moraes Neto – Subprefeito do Butantã

6. Gabriel Crisostomo Júnior – Conselheiro da Distrital Sudoeste e Coordenador Geral do Evento

2) O MC convida a todos para acompanhar e CANTAR o Hino Nacional

3) O mestre de cerimônia realiza apresentação do vídeo Institucional da ACSP;

4) O MC anuncia as autoridades presentes e lê cartas e e-mails de agradecimentos e Parabenizações.

  • Francisco Antonio Parisi – Diretor Superintendente da Distrital Mooca
  • José Américo Dias – Presidente da Câmara Municipal de São Paulo
  • Sérgio Henri Stauffenegger – Presidente do Clube Paineiras do Morumby
  • Vereador Adilson Amadeu
  • Vereador Ari Friedenbach
  • Vereador Atílio Francisco
  • Vereador José Police Neto
  • Vereador Coronel Telhada
  • Wilson Martins Coip – Presidente da Anhembi Turismo e Eventos

5) O MC convida Ernani Parise, Diretor Superintendente da ACSP Distrital Butantã para abertura do evento.

6) O MC faz a leitura do Histórico da Distrital Butantã

 

Histórico da Distrital Butantã

Os Conselheiros da Distrital Pinheiros, na ocasião, José Sérgio Toledo Cruz, Agostinho Fellipelli e Oduvaldo Donnini, representavam o Bairro do Butantã levando importantes reivindicações. Com o constante e crescente progresso do bairro era inevitável e imprescindível que fosse criada uma distrital que atendesse a região.

E em 06 de Abril de 1994, solenemente, foi fundada a Sede Distrital Butantã, sendo nomeado o Sr. José Sérgio Toledo Cruz como 1º Diretor Superintendente.

Nos mandatos seguintes assumiram como Diretores Superintendentes Dr. Júlio César de Faria Guimarães, Dra. Marly Meirelles Breves Baruffaldi, a 1ª mulher a assumir uma Superintendência da Associação Comercial, o Prof. José Carlos Pomarico, Dr. José Gilberto Martins, Sr. Paulo Soares de Oliveira Júnior e Dr. Ernani Parise.

Todos preservaram a parceria da Distrital com os clubes de serviços, Entidades, empresários e autoridades.

Numa luta intensa e conjunta, trouxeram benefícios à comunidade, tais como: Canalização do Córrego Pirajussara, Hospital Universitário, Duplicação da Av. Prof. Francisco Morato, Projetos do Metrô, Rodoanel, Fórum Regional do Butantã, Zoneamento, Plano Diretor e sua Revisão, entre outros.

Palestras, cursos e debates que afetam a região são sempre discutidos com as Entidades e a comunidade em assembleias e reuniões e levadas aos Poderes Públicos.

A Distrital é uma das Entidades mais respeitadas na Região, lutando, sempre, para o bem comum de seus associados e da comunidade.

7) Homenagem aos Ex Diretores Superintendentes

a) O MC convida a todos para assistir o depoimento da Dra. Marly Meirelles Breves Baruffaldi, que atuou nas Gestões 1997/1999 e 1999/2001, em seguida  o MC convida para se dirigir ao palco a Dra. Marly Meirelles Breves Baruffaldi para receber sua homenagem.

b) O MC convida a todos para assistir o depoimento do Prof. José Carlos Pomarico, que atuou nas Gestões 2001/2003 e 2003/2005, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco o Prof. José Carlos Pomarico, para receber sua homenagem.

c) O MC convida a todos para assistir o depoimento do Dr. José Gilberto Martins, que atuou na Gestão 2007/2009, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco o Dr. José Gilberto Martins, para receber sua homenagem.

d) O MC convida a todos para assistir o depoimento do Sr. Paulo Soares de Oliveira Júnior, que atuou nas Gestões 2009/2011 e 2011/2013, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco o Sr. Paulo Soares de Oliveira Júnior, para receber sua homenagem.

e) O MC convida a todos para assistir o depoimento do Dr. Ernani Parise, atual Diretor Superintendente, Gestão 2013/2015, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco o Dr. Ernani Parise, para receber sua homenagem.

f) O MC convida a todos para assistirem o depoimento do Dr. José Sérgio Toledo Cruz, fundador e primeiro Diretor Superintendente da Distrital Butantã, que atuou nas Gestões 1993/1995 e 2005/2007, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco o Dr. José Sérgio Toledo Cruz, para receber sua homenagem e cede a palavra a ele.

8) Homenagem à Coordenadora do Conselho da Mulher

a) O MC convida a todos para assistir o depoimento da Sra. Iéris Batista Imbimbo, que atua no Conselho da Mulher desde 1997, em seguida o MC convida para se dirigir ao palco a Sra. Iéris Batista Imbimbo para receber sua homenagem.

9) Homenagem aos Conselheiros Fundadores da Distrital

Neste momento, convidamos para se dirigir ao palco o Sr. Sérgio de Castro representando neste ato o Sr. Oduvaldo Donnini para receber sua homenagem.

11) O MC apresenta os Novos Conselheiros da Distrital Sudoeste e convida a dirigir-se ao palco:

Kelly Christine Griffo Medeiros

Rodrigo Freitas Flaquer

Entrega do PIN, Estatuto Social e Regulamento das Sedes Distritais

12) O MC convida o Diretor Superintendente, Dr. Ernani Parise para suas considerações.

Dr. Ernani Parise - Diretor Superintendente da Distrital Sudoeste da ACSP

13) O MC anuncia a palavra de agradecimento e encerramento:

Dr. Roberto Mateus Ordine, Vice-Presidente e Coordenador Geral das Sedes Distritais

Dr. Rogério Pinto Coelho Amato, Presidente da Associação Comercial de São Paulo e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo.

14) MC convida todos os homenageados, futuros Conselheiros,  Diretor Superintendente, Presidente, Vice Presidente da ACSP e o Coordenador Regional Oeste para a foto oficial junto ao palco.

15) MC - O mestre de cerimônia convida a todos para que conheçam o Painel “Parceiros de Sucesso” ( São 24 Parceiros da Distrital Sudoeste, expondo sua marca e fazendo negócios) e na sequência será servido o coquetel.


 

 

sexta-feira, 11 de abril de 2014
Município intensifica ações de combate à dengue na região do Butantã

O registro de casos de dengue neste ano em São Paulo chegou a 1.745, um aumento de 42% na comparação com o mesmo período de 2013. O dado considera as notificações recebidas nas primeiras 14 semanas epidemiológicas e pode variar na medida em que os casos são registrados pelas unidades de saúde.

Neste período, foram notificados 1.745 casos de dengue em 2014, o que resulta em uma taxa de incidência de 15,5 (casos para cada 100 mil habitantes), considerada baixa de acordo com o Ministério da Saúde (veja tabela abaixo). Em 2013, em 14 semanas, foram notificados 1.229 casos. Durante todo o ano passado foram 2.617 casos e índice 23,3.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, José de Filippi Jr., a ausência de chuvas neste Verão atrasou o aparecimento e transmissão da doença, já que as larvas do mosquito Aedes aegypti dependem da água para chegarem na fase adulta, quando o mosquito se torna transmissor da doença. “O que identificamos é que existe uma defasagem em relação aos outros anos de duas a três semanas. Temos de nos preparar porque o pico que acontecia em março, vai acontecer em abril”, explicou o secretário.

A Supervisão de Vigilância em Saúde (SUVIS) da região da Lapa e do Jaguaré vem realizando ações de prevenção e combate ao mosquito. Ao todo, já foram realizados 230 bloqueios de criadouros (cada bloqueio equivale em média a nove quarteirões e 500 imóveis) e 224 bloqueios de nebulização (aparelho costal). Além disso, três operações Cata-Bagulho foram realizadas em parceria com as subprefeituras para a retirada de lixos que possam acumular água.

Casos registrados em São Paulo

  2010 2011 2012 2013 2014
Até 14ª semana 3046 1788 441 1229 1745 
Total no ano 5866 4191 1150 2617     -

Clique aqui para ver o detalhamento dos casos entre 2010 e 2014

No último dia 7, a Prefeitura realizou uma ação conjunta com o município de Osasco na região do Parque Continental (subprefeitura da Lapa), em área próxima ao limite entre as duas cidades. Ações concentradas de prevenção e eliminação de focos de dengue começaram às 6h30 com a circulação do nebulizador pelas ruas do bairro. Por volta das 9h, cerca de 40 agentes iniciaram os trabalhos de orientação e bloqueio de criadouros nas casas da região. Os agentes distribuíram folhetos, checaram e eliminaram possíveis criadouros e deram orientações de prevenção. Foram também distribuídas redes para a proteção das caixas d’água. Segundo a Covisa, o bairro receberá três dias de cuidados intensivos.

Segundo o secretário José de Filippi Jr., em cerca de 30% das residências as pessoas se recusam a receber os agentes da Prefeitura. “Quero tranquilizar a população. Quando os agentes chegam em suas casas estão fazendo a ação mais importante de saúde: a prevenção”, afirmou.

Em toda cidade, até a semana passada, foram realizadas as seguintes ações: 

  • Orientação em 272 mil imóveis (panfleto)
  • Visitas e bloqueios de criadouro em 107 mil imóveis;
  • Nebulização em 11 mil imóveis (aparelho costal);
  • 120 mil visitas de casa em casa
  • 6 mil ações em pontos estratégicos (desmanches, ferro velhos, floriculturas, borracharias, etc)

Detalhamento de notificações

Dos 98 distritos da capital paulista, cinco apresentam alto índice de incidência. No Jaguaré, foram registrados 208 casos e o índice é de 417,1, considerado alto. Na Lapa, foram 112 casos e índice de 170,4, considerando médio. Em Rio Pequeno foram notificados 114 casos e o índice é 96,2, limítrofe para médio.

Outros dois distritos, Tremembé, na zona norte, com 38,5 casos por 100 mil habitantes; e Vila Jacuí, na zona leste, com 30,2 casos, também apresentam índices acima da média da cidade. Ambos fazem limite com o município de Guarulhos.

Os dados detalhados (por ano e subprefeitura) são variáveis. As unidades de Saúde públicas e privadas são responsáveis pelo envio das notificações para as Supervisões de Vigilância em Saúde que analisam os casos e lançam no sistema federal (SINAN). Na semana passada, a cidade ainda tinha notificações inferiores ao mesmo período do ano passado, mas com o indicativo de alta nos distritos mencionados, na Zona Oeste.

“Vamos dar todo o apoio e com isso, aperfeiçoar essa ação preventiva em conjunto. Foram feitas poucas operações Cata Bagulho, três e nós podemos fazer mais na questão do entulho, resto de obras, de material de fora do espaço público que são propícios para a reprodução do mosquito. Vamos fazer ação focada e com muita determinação nessa região”, afirmou o secretário.

Clique aqui e veja os dados por distrito e por semana epidemiológica (Esta planilha é atualizada às quintas e contabiliza dados por semana epidemiológica)

Óbito – Informação atualizada em 7 de abril: A Secretaria Municipal de Saúde confirmou nesta segunda o primeiro óbito por dengue grave no município. I.B., 6 anos, morreu na quarta (2 de abril). A criança foi levada ao Pronto-Socorro Municipal João Catarin Mezomo (Lapa) no dia 31 de março, com relato de febre há cinco dias, vômito e dor abdominal. Recebeu hipótese diagnóstica de dengue. Foi acolhido, avaliado, medicado e assistido até a transferência para UTI do Hospital Universitário da USP no dia 1º de abril.

Como prevenir

  • Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia;
  • Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva;
  • Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo;
  • Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;
  • Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas;
  • Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos;
  • Lonas, aquários, bacias, brinquedos devem ficar longe da chuva;
  • Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos, destinados ao lixo ou “Operação Cata-Bagulho”;
  • Cuidados especiais para as plantas que acumulam água como bromélias e espadas de São Jorge, ponha água só na terra.

Sintomas

A presença de dois sinais, combinada com febre alta, é indicação para procurar o serviço médico, principalmente, quem está chegando de viagem de região contaminada. Os sintomas da Dengue Clássica como é chamada, acrescida de dor abdominal contínua, suor intenso e queda de pressão caracterizam a Dengue Hemorrágica.

  • Febre alta (acima de 38°C)
  • Fraqueza e prostração ou fraqueza
  • Dor no corpo e nas juntas
  • Dor de cabeça
  • Dor no fundo dos olhos (Sem resfriado ou coriza)


Entenda o índice: Taxa de incidência de dengue*

  • 0 a 100 casos por 100 mil/habitantes: baixa incidência
  • 100 a 300 casos por 100 mil habitantes: médica incidência
  • acima de 300 casos por 100 mil habitantes: alta incidência

* Ministério da Saúde

Fotos
Crédito: Luiz Guadagnoli/SECOM

< Anterior | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | Próximo >