Notícias em O melhor do bairro de Itaquera - Zona Leste, São Paulo, SP

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Obras do Complexo Viário de Itaquera, em São Paulo, atingem 48% de execução

Mudanças nas ruas e avenidas do entorno da Arena Corinthians, que pretendem melhorar o acesso e o trânsito na região, tem previsão de conclusão até abril de 2014.

As obras do Complexo Viário de Itaquera, no entorno da Arena Corinthians, em São Paulo, atingiram 48% de execução em agosto. Os empreendimentos pretendem melhorar a acessibilidade de milhões de pessoas que transitam diariamente pela região e alavancar o desenvolvimento local, aumentando os postos de trabalho na zona leste da capital paulista e diminuindo o fluxo de pessoas que se deslocam para outras áreas da cidade.

O empreendimento foi divido em três etapas e teve início em setembro de 2012, com as obras de integração do Sistema Viário da Avenida Radial Leste ao Futuro Polo Institucional de Itaquera. Esta primeira etapa, que deve ser concluída em março de 2014, foi contratada por R$ 257,7 milhões.

São realizadas as seguintes obras e serviços na primeira etapa: nova avenida de ligação Norte-Sul entre a Av. Itaquera e a Av. José Pinheiro Borges (Nova Radial) e respectivo conjunto de viadutos; nova avenida de ligação entre a Av. Norte-Sul e a Av. Miguel Inácio Cury; adequação viária da ligação entre a Av. Miguel Inácio Cury e a Estação Corinthians-Itaquera; e adequação viária da Radial Leste nas proximidades da Estação Corinthians-Itaquera, com a implantação de uma via expressa em mergulho (pista subterrânea).

A segunda etapa, iniciada em abril de 2013, é composta das alças viárias que farão a ligação entre a Avenida José Pinheiro Borges (Nova Radial) à Avenida Jacu Pêssego, em Itaquera. São investidos R$ 61,4 milhões e as intervenções estão previstas para serem concluídas em março de 2014.

A Radial e a Jacu Pêssego são os dois principais eixos viários do extremo Leste de São Paulo. A ligação entre as vias facilitará o acesso da região à Marginal Tietê, Rodovia Ayrton Senna e Rodoanel. Serão construídos dois viadutos ligando as duas avenidas e um pontilhão sobre o Rio Verde para passagem de veículos na Avenida Rosa Campanella. Além disso, serão realizadas adequações viárias para acesso aos viadutos e ao novo estádio do Corinthians.

As alças, que devem estar concluídas em março de 2014, criarão uma alternativa à Avenida Radial Leste, melhorando o tráfego na região e o acesso ao bairro. Além disso, durante os jogos da Copa do Mundo 2014, o conjunto de viadutos melhorará a locomoção dos torcedores que passam pela região.

Por fim, na terceira etapa, que deve iniciar em setembro e ser concluída em abril de 2014, será construída uma passarela que fará a ligação da região Norte do bairro de Itaquera ao futuro estádio, sobrepondo os trilhos do Metrô e da CPTM e as Avenidas Radial Leste e José Pinheiro Borges. A travessia para pedestres facilitará a circulação das pessoas que pretendem chegar ao estádio e ao Polo Institucional Itaquera.

Desenvolvimento

Parte do Polo Institucional de Itaquera, uma Fatec (Faculdade de Tecnologia) foi inaugurada em 2012 e uma Etec (Escola Técnica) iniciará as aulas no segundo semestre de 2014. Na estratégia de utilização de estruturas existentes durante o evento, diminuindo a necessidade de estruturas temporárias, os centros de credenciamento e de ingressos serão instalados na Etec, bem como as áreas de apoio à cerimonia de abertura e treinamento de voluntários. Está em estudo o uso do espaço, provisoriamente, como escritório do Comitê Paulista, SPCopa, e Comitê Organizador Local (COL) no primeiro semestre.

Transportes sobre trilhos

O acesso ao estádio já está garantido pelo sistema de alta capacidade. As estações Artur Alvim, do metrô, e Corinthians-Itaquera, do metrô e da CPTM, estão a cerca de 800 metros da entrada da arena. A capacidade conjunta de ambas as linhas que atendem a região (3-Vermelha do metrô e 11-Coral da CPTM) será suficiente para transportar mais de 110 mil pessoas por hora/sentido, 20% maior do que a capacidade atual.

 

O tempo de espera entre os trens na Linha 3 do metrô vai passar dos atuais 100 segundos, em média, para até 85 segundos em 2014. Na Linha 11-Coral da CPTM, o tempo será reduzido de cinco para três minutos. Estima-se que cerca de 50% do público geral utilizará os trilhos, e outros 10%, ônibus para acessar a arena durante a Copa.

Fonte: Comitê Paulista da Copa

 

sexta-feira, 09 de agosto de 2013

Obras na Arena Corinthians chegam a 84,42% de conclusão

Estádio será palco da abertura da Copa do Mundo de 2014

Os banheiros, pisos, escadas, paredes externas e internas estão praticamente prontos. Os serviços de acabamento avançaram e as obras na Arena Corinthians, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014, localizada em Itaquera, zona leste de São Paulo, chegaram a 84,42% de finalização, neste início de agosto.

O gramado, semeado em 25 de junho, já passou por corte e segue sendo tratado para que esteja concluído já no final de setembro. Operários e técnicos montam as estruturas metálicas das coberturas sul e norte, ao passo que outros funcionários realizam a colocação dos vidros da fachada oeste do estádio, que somam 1.340 peças.

Em fase de acabamento, os telhados dos prédios leste e oeste já dão mostras de como ficará o estádio quando pronto. Paredes, pisos e as portas de vidro dos camarotes do setor oeste também já esão sendo instaladas.

Os serviços de acabamento dos vestiários dos jogadores do Corinthians, dos times visitantes e dos juízes, localizados no terceiro subsolo do prédio oeste, também registraram grande avanço, bem como os espaços das futuras lojas, lanchonetes e restaurantes. Banheiros e os amplos espaços livres do prédio leste já estão com os forros prontos.

Com previsão de entrega da obra para dezembro de 2013, o estádio terá capacidade para 65 mil torcedores - serão 48 mil assentos convencionais e 17 mil lugares móveis, que deverão ser removidos após o Mundial.

Link: placar.abril

 

quarta-feira, 07 de agosto de 2013

Obras viárias em Itaquera engatinham

Intervenções no "lado B do Itaquerão" devem ficar prontas só depois da Copa

Guilherme Pavarin/Correspondente RBS

Se a construção da Arena Corinthians está avançada, com mais de 82% do projeto concluído, o mesmo não se pode dizer de boa parte das obras viárias que cercam o estádio. O chamado "lado B do Itaquerão", onde se concentram 20 obras de urbanização entre os bairros de Itaquera e Guaianases, na zona leste de São Paulo, mal saiu do papel.

Orçado em R$ 130 milhões, o plano de unir as duas regiões deveria ter sido concluído em 2010. Segundo a administração municipal, responsável pelas intervenções, só estará pronta em outubro de 2014 — três meses após a Copa do Mundo.

A razão do atraso seria a prioridade para as obras do "lado A", contempladas no Complexo Viário Itaquera, e que são feitas em conjunto com o governo estadual. Hoje, essas obras estão estimadas, de acordo com a construtora Dersa, em 48% de conclusão.

O comitê municipal SPCopa, que cuida da organização do evento em São Paulo, não dá maiores detalhes sobre os planos de realização das obras do "lado B". A alegação é de que a troca de comando na administração prejudicou o andamento das obras. Assim que assumiu a prefeitura, Fernando Haddad exigiu que todos os documentos da gestão anterior fossem revistos pela cúpula. Tamanho zelo, dizem, retardou o processo.

Consta no projeto do "lado B"que as intervenções beneficiariam mais de 1,5 milhões de pessoas. Dentre elas estão a construção da terceira faixa da Radial Leste, a canalização do córrego Verde e a ligação da Avenida Águia de Haia com o metrô Itaquera — esta última, sob ocupação irregular, sequer teve a área preparada para o início das obras.

ZHESPORTES

 

sábado, 03 de agosto de 2013

Arena Itaquera S/A contrata empresa especialista em “falidos” para criar novo “Fundo” para o “Fielzão”

A empresa Arena Itaquera S/A, gerida pela BRL Trust, a verdadeira proprietária do “Fielzão”, contratou os serviços da RB Capital, com diversas empresas associadas, todas no mesmo endereço, à rua Amauri, 255, em São Paulo, para intermediar e constituir novo Fundo Imobiliário com o intuito de gerir recursos do estádio que está sendo construído pela ODEBRECHT.

Dirigentes do Corinthians, que teoricamente deveriam estar interessados no procedimento, não comparecerem à reunião, que foi realizada às 10h. do dia 6 de junho.

A RB é um braço do banco Pactual, o mesmo que se dedica a adquirir empresas consideradas “quebradas” pelo mercado.

Os casos mais conhecidos foram a compra da massa falida do Banco Panamericano, que, não por coindidência, tinha como um dos gestores o vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, e parte das empresas “X’, do ex-bilionário Eike Batista.

http://www.jb.com.br/economia/noticias/2013/05/06/pactual-vai-as-compras-de-ativos-em-dificuldades/

 

“(…)à aprovação da contratação da RB CAPITAL SERVIÇOS DECRÉDITO LTDA., (…) representada na forma de seu Contrato Social (“RB Capital”), para estruturação do Fundo de Investimento Imobiliário a ser constituído com o objetivo de adquirir do Fundo determinados direitos de exploração comercial de ativos da Arena Corinthians (“FII Arena 2”), nos termos e condições constantes das propostas apresentadas(…)”, diz parte da ata da reunião.

Ou seja, será criado um novo fundo, sabe-se lá com que participantes, intermediado por uma gestora de massas falidas, para adquirir o direito de explorar comercialmente o “Fielzão”, além, evidentemente, das cessões feitas pelo clube ao fundo anterior, como marca, símbolo, etc.

Tudo isso sem que o Corinthians, que se diz “dono” do estádio, informe a seus conselheiros, associados e torcedores as razões que levaram os tidos como “gestores” da Arena a tomarem atitudes tão, digamos, extremas, diria até, inusitadas.

Link: blogdopaulinho

terça-feira, 30 de julho de 2013

Conselheira do TCE visita obras de mobilidade urbana em Itaquera

29/07/13 – SÃO PAULO - A Conselheira do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Cristiana de Castro Moraes, visitou na última quinta-feira (25/7), às 10h00, as obras de mobilidade urbana do Polo Institucional Itaquera, que faz parte do Plano de Desenvolvimento da Zona Leste.

Acompanhada de servidores do Tribunal, do Diretor Presidente da Desenvolvimento Rodoviário S/A (DERSA), Laurence Casagrande Lourenço, do Diretor de Engenharia da DERSA, Pedro da Silva, e representantes das empresas responsáveis pelas obras, a Conselheira, relatora das Contas do Governador referentes ao exercício de 2013, pode acompanhar os trabalhos realizados na região, como as transposições em desnível sobre as linhas do Metrô e da CPTM, bem como a passagem em desnível na Rua Dr. Luis Aires (Radial Leste).

As obras têm sido acompanhadas concomitantemente pela equipe técnica da Diretoria de Contas do Governador. Deste o início já foram realizadas 6 (seis) visitas ‘in loco’ pelos técnicos desta Corte, sendo que somente este ano foram 4 (quatro), e até o término deste exercício haverá mais inspeções. A conclusão das obras está programada para abril de 2014, segundo cronograma apresentado pela DERSA.

Fonte: Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

< Anterior | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | Próximo >