Categorias

Notícias em O melhor do bairro de Itaquera, São Paulo, SP

sexta-feira, 30 de novembro de 2012
Em busca de verbas para o Itaquerão

Valor Econômico

Governo do Estado e Prefeitura de São Paulo estudam como captar verbas para levantar as instalações temporárias da Arena Itaquera, mais conhecida como Itaquerão. O estádio vai sediar a abertura da Copa do Mundo em 2014 em Itaquera, na zona leste da capital. Ainda não está definido se a administração pública vai fazer licitações para contratar serviços como banheiros, restaurantes e cabeamento para banda larga no local durante os jogos. Ou se vai costurar outras parcerias com empresas privadas, como fez no caso das arquibancadas.

Gilmar Tadeu, secretário municipal de articulação para a Copa, disse que a administração pública está estudando o assunto. Segundo ele, existe a possibilidade de fazer parcerias com empresas privadas, como a anunciada com a Ambev na terça-feira.

Ambev e Odebrecht vão investir R$ 35 milhões para instalar 20 mil assentos em duas arquibancadas móveis e provisórias no Itaquerão, a serem removidas no fim da Copa. O estádio está sendo construído com 48 mil lugares. Mas para receber a abertura da Copa, deve ter ao menos 65 mil, segundo exigência da Fifa, a entidade que organiza o campeonato mundial de futebol de maior prestígio.

A administração pública precisa garantir outras instalações temporárias para a Copa como sala de imprensa, computador, mesas, fiação, cabeamento para acesso a internet, via banda larga. Esses projetos, segundo Tadeu, devem somar entre R$ 30 milhões e R$ 35 milhões "pelo que vemos nas outras cidades-sede". Ele citou como exemplo os gastos com estruturas temporárias das prefeituras de Belo Horizonte e Salvador.

Questionado se o tempo é curto para fazer licitações, Tadeu disse que São Paulo está dentro do cronograma, pois não vai sediar jogos da Copa das Confederações. Assim, segundo ele, a administração tem até "o fim de 2013, início de 2014" para contratar os serviços.

A Prefeitura de São Paulo ainda precisa definir se vai contratar grupos especializados em determinados setores (como cabeamento e iluminação) ou apenas uma empresa que responde por toda a operação e subcontrata diferentes partes do projeto.

Tadeu esteve ontem no estádio, que é do Corinthians, durante um evento organizado pela Fifa. Esta encerrou ontem as visitas deste ano às 12 cidades que sediarão os jogos da Copa de 2014. A comitiva contou com o prefeito Gilberto Kassab, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e os ex-jogadores Ronaldo e Bebeto, além de José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Valcke disse que havia conseguido "chegar aqui em apenas 19 minutos. Tudo atende aos nossos requisitos". Foi o tempo gasto, em trem, entre as estações Luz, o centro da cidade, e Itaquera.

A construção do estádio está estimada em R$ 820 milhões, tem 55% da obra concluída e previsão de entrega em dezembro de 2013. O estádio receberá seis jogos da Copa. As obras sofreram risco de paralisação em outubro por falta de garantias para a liberação de recursos do BNDES. Segundo o Valor apurou, quando as relações entre Odebrecht, BNDES e Banco do Brasil (repassador da verba) começaram a se complicar por causa da falta de garantias e ameaça de paralisação da obra, o Corinthians fez uma reunião. Um executivo da construtora entrou na sala e, quando saiu, a questão estava resolvida.

O estádio terá centro de convenções, bares, restaurantes, auditórios, lojas de material esportivo e museu de futebol. "A arena será um polo de lazer e negócios da região. Também queremos vender camarotes para as empresas explorarem durante os eventos", disse o vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, em entrevista ao Valor no mês passado.

Link: invest.sp

 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012
Com tumulto e bronca de Ronaldo, Valcke vai a Itaquera de trem

CELSO PAIVA

Direto de São Paulo

A cidade de São Paulo já vive o clima do sorteio da Copa das Confederações, que ocorre neste sábado, no Anhembi. Nesta quarta-feira, uma comissão com integrantes de Fifa e Comitê Organizador Local (COL) realizou o trajeto entre as estações Luz e Corinthians/Itaquera por meio do Expresso da Copa, trem que faz a viagem à zona leste de forma direta. Não sem confusão, entretanto.

Estiveram presentes ao evento o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e os membros do COL, Ronaldo e Bebeto. A presença da comitiva promoveu tumulto com cinegrafistas e fotógrafos, e Ronaldo chegou a pedir respeito aos profissionais, afirmando que estariam dando um "péssimo exemplo" para Valcke.

Na saída também houve confusão e muito empurra-empurra. Tentando manter a simpatia, Ronaldo e Bebeto acenaram para passageiros que estavam na estação Corinthians/itaquera. O tumulto era tão grande em torno de Ronaldo e Valcke que o ministro Aldo Rebelo ficou para trás e distante dos principais membros da comitiva.

A trupe faz visita de inspeção à Arena Corinthians, estádio que receberá a abertura da Copa do Mundo na zona leste da capital paulista. O Expresso da Copa é um projeto que almeja facilitar o transporte dos torcedores durante o Mundial de 2014. O trajeto entre Luz e Itaquera durou 17 minutos. Após a chegada à zona leste, a comitiva seguiu de ônibus até as obras do estádio.

Na Arena Corinthians o grupo se encontrará com membros da Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo (Secopa) de São Paulo em reunião sem previsão de tempo. A seguir ocorre a visita às obras e uma entrevista coletiva.

Esta não foi a primeira vez que Ronaldo entrou a bordo do trem que vai do centro ao leste de São Paulo. Em setembro, em evento que comemorou a contagem regressiva de 1000 dias até a abertura do Mundial, o ex-jogador pegou o Expresso da Copa acompanhado pelo prefeito Gilberto Kassab e pelo governador Geraldo Alckmin.

Link: esportes.terra

quarta-feira, 28 de novembro de 2012
De metrô, comitiva da Fifa vai à Arena Corinthians para inspeção

Uma comitiva da Fifa, capitaneada pelo secretário geral da Fifa Jérôme Valcke, inspecionará as obras da Arena Corinthians, em Itaquera, na manhã desta quarta-feira. O Ministro do Esporte Aldo Rebelo, o secretário da Copa em São Paulo Gilmar Tadeu, o secretário do governo do Estado Julio Semeghini, além dos ex-jogadores e membros do Comitê Organizador Ronaldo e Bebeto, acompanharão os membros da entidade máxima do futebol.

Pela programação, a comitiva irá de metrô até o local onde está sendo erguido o palco de abertura da Copa. A idéia é deixar a estação da Luz por volta das 8h30 (de Brasília), chegando à estação Corinthians/Itaquera às 9h. Ronaldo era o único que ainda não tinha confirmado sua ida ao local de metrô – é possível que o ex-jogador vá mesmo de carro.

Em setembro de 2011, Ronaldo fez o mesmo trajeto de metrô, acompanhado do então presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, do governador do Estado, Geraldo Alckmin, e do prefeito Gilberto Kassab. E afirmou. "Levamos 19 minutos da Luz até aqui de trem. O torcedor vai poder aproveitar uma excelente condição para chegar, uma excelente acessibilidade ", afirmou Ronaldo, à época.

Link: esportes.terra

terça-feira, 27 de novembro de 2012
Governo paulista viabiliza parceria para garantir abertura da Copa em São Paulo

Alckmin anuncia que empresa de bebidas bancará ampliação do estádio do Corinthians

O governo de São Paulo anunciará nesta terça-feira os detalhes da parceria entre o Estado e a Ambev para a construção das arquibancadas móveis necessárias para adequar o estádio do Corinthians em Itaquera às demandas da FIFA. Sem a estrutura provisória a arena não se estaria apta para receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014 .

No valor estimado de R$ 70 milhões, as arquibancadas seriam inicialmente bancadas pelo governo paulista. Porém, antes de Geraldo Alckmin assumir os custos da obra o governador se comprometeu a "procurar parceiros privados para viabilizar os assentos provisórios". A Ambev anunciou a parceria por meio de sua assessoria de imprensa e dará os detalhes nesta terça-feira em evento no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi.

A Ambev já anuncia uma de suas marcas nas arquibancadas do Engenhão, no Rio. O acerto entre a Ambev e o governo paulista dá indícios de que o acordo pelos naming rights do estádio corintiano também pode estar sendo negociado.

As arquibancadas provisórias vão comportar 20 mil lugares, totalizando 68 mil lugares. O jogo inaugural da Copa deve ter no mínimo 65 mil assentos. Além do estádio corintiano, a Arena das Dunas, em Natal, e a Arena Pantanal, em Cuiabá, também utilizarão arquibancadas móveis.

O estádio do Corinthians está orçado em R$ 840 milhões, dos quais R$ 420 milhões foram financiados pelo clube junto ao BNDES e os outros R$ 420 milhões por meio de incentivos fiscais da Prefeitura de São Paulo. Os gastos extras, como o dos assentos provisórios, ficaram por conta do governo estadual e sua parceira.

Link:esporte.ig

 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012
Itaquera é um canteiro de obras

Bairro da Zona Leste recebe investimentos de infraestrutura para a abertura da Copa de 2014

Itaquera não é mais a mesma. Pouco mais de um ano depois do anúncio do estádio do Corinthians como sede da abertura do Mundial de 2014, o bairro que abrigará a futura arena virou um grande canteiro de obras. Além das intervenções viárias e de infraestrutura, moradias estão sendo construídas e outras reformadas.

Segundo informações do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), os lançamentos no bairro tiveram um acréscimo de 450% em 2011, na comparação com o ano anterior. Em 2010 foram lançadas 106 unidades. Já em 2011 590 unidades foram colocadas à venda na região.

Corretoras do bairro procuradas pelo DIÁRIO revelaram que um processo de especulação imobiliária está em curso. “Um pequeno sobrado que estava à venda por R$ 80 mil antes da divulgação da Copa em Itaquera agora está anunciado por R$ 136 mil”, disse Laelson Silva, dono da Imobiliária Aliança. “O pior é que está faltando produto para a gente trabalhar. Tem cliente, mas falta imóvel.”

O comércio de material de construção também vive dias de glória na região. Marcelo Morgado, dono da Morgado Construções, no centro comercial de Itaquera, contou que as vendas cresceram, em média, 30% depois da decisão da Fifa em abrir os jogos no bairro, no dia 12 de junho de 2014.

“A minha família está estabelecida no comércio da região há 54 anos e nunca houve um período como este”, disse Morgado. “As pessoas estão vindo para cá em função das melhorias que a Copa trouxe com ela.” É o caso do cobrador de ônibus Diego Silva, que comprava na quarta-feira portas, janelas e blocos para a casa que está construindo. “Aqui virou o bairro do futuro”, disse.

Governo faz obras viárias e de infraestrutura no bairro

O governo do estado e a Prefeitura estão investindo, em conjunto,  R$ 478,2 milhões em obras viárias em Itaquera para facilitar o acesso ao futuro estádio que abrirá a Copa de 2014. Desse montante,  R$ 345,9 milhões são aportes do estado e o restante do município. Entre os principais projetos em andamento está a nova Avenida Norte-Sul, que fará a ligação entre as Avenidas Itaquera e a Nova Radial. Outra nova via ligando a Avenida Norte-Sul à Avenida Miguel Inácio Cury também está sendo construída.

Além de melhorar o acesso ao estádio e consequentemente ao bairro, o governo estadual também prevê a construção da Etec Itaquera 2, prevista para ser concluída em agosto de 2013, com investimentos de  R$ 27 milhões. Já no segundo semestre do ano que vem devem ser oferecidos os cursos técnicos de desenho de construção civil, edificações, enfermagem, informática, projetos  mecânicos e segurança no trabalho.

A Fatec Itaquera recebeu recursos de mais de R$ 31 milhões  e 155 alunos estão matriculados nos cursos de fabricação mecânica e mecânica: processos de soldagem. Além disso, serão construídos no bairro um fórum, uma rodoviária, postos da Polícia Militar e bombeiros e um parque linear.

Metrô reforma 21 estações para jogos de 2014

Um processo de revitalização está em curso em um terço das 64 estações  do Metrô de São Paulo em função da Copa de 2014. A revitalização abrangerá 21 estações: seis na Linha 1-Azul (Jabaquara, Santa Cruz, Ana Rosa, Paraíso, Luz e Portuguesa-Tietê), cinco na Linha 2-Verde (Chácara Klabin, Brigadeiro, Trianon-Masp, Consolação e Sumaré) e dez na Linha 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera, Artur Alvim, Vila Matilde, Tatuapé, Belém, Brás, Sé, República, Marechal Deodoro e Palmeiras-Barra Funda). Esta última linha vai ser a mais usada durante a Copa porque atende o bairro do futuro estádio do Corinthians.

A empresa ganhadora desta licitação vai fiscalizar o processo de recuperação e de tratamento das estruturas de concreto e outros serviços afins, além da substituição de piso de borracha sintética por granito nas plataformas, mezaninos, acessos e passarelas de estações. O projeto da companhia também prevê a substituição de piso de “mosaico português” por bloco intertravado e substituição dos forros.

O outro contrato é para a troca do fechamento lateral de coberturas metálicas nas estações Corinthians-Itaquera, Tatuapé e Palmeiras-Barra Funda da Linha 3-Vermelha, para a melhoria do conforto térmico.

Atualmente, 300 empregados do Metrô realizam curso de capacitação em inglês. A comunicação visual das estações também estará disponível em inglês e o projeto das novas placas está em fase final de revisão. Mapas  também receberão legendas em inglês.

SPTrans estuda aumento de linhas

A SPTrans, empresa da Prefeitura responsável pelos ônibus que circulam na capital, informou que está fazendo estudos de demanda e projeções de aumento de usuários  na Zona Leste de São Paulo em função da instalação de novas empresas e do movimento provocado pelos jogos da Copa do Mundo, em 2014. A definição sobre a possível criação de novas linhas na região, segundo a companhia, deve ser tomada no ano que vem.

Região não receberá hotéis para a Copa

Itaquera não deverá ter hotéis em construção para a Copa de 2014. A informação é de Bruno Omori, da Associação Brasileira da Industria de Hotéis. Ele explicou que estudos de viabilidade foram feitos, mas o bairro foi considerado sem potencial  para o período posterior ao evento. “Não existem centros corporativos, industriais ou de turismo no bairro”, disse o executivo.

Hóspedes devem ficar em cidades vizinhas

Segundo Omori, hoje a oferta de leitos em São Paulo é suficiente para atender a demanda da Copa do Mundo de 2014. Se forem somadas as unidades  num raio de até 100 quilômetros, incluindo regiões como Santos, Guarulhos, Campinas, São José dos Campos, São Roque, Atibaia, são quase 80 mil leitos, de acordo com os dados oficiais.

Link: redebomdia

 

< Anterior | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | Próximo >