Alterar Região
Categorias

História - O melhor do bairro de Santa Rosa, Niterói, RJ

História de Santa Rosa

O bairro de Santa Rosa tem uma população de 27.038 habitantes, segundo o IBGE de 2000.

 De ocupação antiga, Santa Rosa deve a sua denominação à antiga Fazenda Santa Rosa (séc. XVIII) que dominava vasto território. A sua história confunde-se com a de Icaraí, sendo na verdade uma expansão deste bairro. O crescimento e desenvolvimento de Santa Rosa/Icaraí é resultante de um modelo de urbanização no qual foram privilegiadas áreas preferenciais de ocupação, geralmente locais mais próximos ao centro urbano, ao litoral, ou mesmo, de mais fácil acesso (um vale ou planície, por exemplo). Desse modo, o que se viu após a partilha das fazendas que dominavam a região, foi uma ocupação primeiramente concentrada ao longo da praia de Icaraí, expandindo-se em seguida para o interior próximo, em direção a Santa Rosa.

No século passado, a paisagem do bairro ainda era muito exuberante. Nesse período, o bairro viu passar por suas estradas, tropas de mulas vindas do interior que desciam dos caminhos do Viradouro, Atalaia e Cubango em direção ao Centro. As suas principais vias, na época, eram a rua Santa Rosa e a estrada do Calimbá (atual Dr. Paulo Cesar). Diversas chácaras surgiram da partilha da Fazenda Santa Rosa e para elas foram atraídas famílias de poder econômico mais elevado. Viveram no bairro expoentes ilustres da história de Niterói e da antiga Província do Rio de Janeiro.

No final do século passado e início deste, aconteceram importantes melhorias no bairro. Diversas ruas foram saneadas, calçadas e iluminadas, sendo servidas por linhas de bondes de tração animal e, mais tarde, de bondes elétricos.
 

O crescimento recente de Santa Rosa seguiu os mesmos padrões de Icaraí. Já muito populosos, os dois bairros viram a substituição progressiva de suas casas por edifícios de apartamentos. Este intenso processo de especulação teve seu auge nas décadas de 60 e 70, com os apartamentos financiados pelo BNH (Extinto Banco Nacional de Habitação). O "boom" imobiliário tem reflexos até os dias atuais. A construção da Ponte Rio-Niterói intensificou a verticalização imobiliária em terras fluminenses.

Segundo o censo de 1991 do IBGE, Santa Rosa abriga aproximadamente 10% da população residente do município de Niterói. Quanto à sua dinâmica demográfica, apresentou no período de 1980/91 uma taxa média de crescimento anual de 2,13%. Comparando com o período anterior (70/80) nota-se que houve crescimento populacional significativo, devido sobretudo à ocupação vertical já mencionada.

Santa Rosa é um bairro de ocupação antiga, com uma área de 3,0 km² e densidade demográfica de 14.391 hab/km².

Dois terços da população está concentrada nas faixas etárias de 0 a 44 anos, caracterizando perfil jovem, com tendência para a faixa adulta.

Quanto à distribuição por sexo, 45,59% são homens e 54,41% mulheres.

A taxa de alfabetização da população acima dos 5 anos é de 95,17%, ocupando a 9ª colocação no conjunto dos bairros. Observa-se que em todas as faixas etárias os índices são elevados e superiores a taxa municipal, que é de 91,97%.

Na composição familiar, Santa Rosa apresenta um percentual de 73,13% dos chefes de domicílio do sexo masculino. O bairro possui 26,87% de mulheres na mesma condição.

Na estratificação dos chefes de domicílio por classe de rendimento médio mensal, 31,69% ganham de 1 a 5 salários mínimos; 48,34% ganham de 5 a 20 salários e 10,37% percebe acima de 20 salários. Estes percentuais estão bem acima dos que ganham até 1 salário mínimo (6,83%) — caracterizando uma população de classe média.

Santa Rosa apresenta características de um bairro residencial de classe média, dispondo de uma rede de serviços satisfatória e de um comércio diversificado, localizado sobretudo nas suas principais vias de circulação — as ruas Santa Rosa, Dr. Paulo Cesar e Noronha Torrezão; e também no Largo do Marrão. As demais ruas apresentam-se mais tranqüilas, com menor volume de circulação. Entre os estabelecimentos comerciais do bairro destacam-se: mercados, lojas de materiais de construção e reforma, concessionárias de automóveis, padarias, farmácias, entre outros.

Merece destaque o grande número de escolas existentes, sejam públicas ou privadas, atendendo aos estudantes do 1º e 2º graus, não só do bairro, mas também de todo o município e até de municípios vizinhos. Também localiza-se em Santa Rosa a Faculdade de Farmácia da UFF, veja  UFF.

Devido a sua ocupação antiga e por situar-se numa das áreas mais valorizadas de Niterói, o bairro apresenta boa infra-estrutura urbana, sendo suas vias pavimentadas e bem conservadas.

O Complexo do Caio Martins constitui uma importante fonte de lazer não só para o bairro, como também a nível municipal e estadual. O Estádio Caio Martins tem sido palco, nos últimos tempos, de jogos dos campeonatos estadual e brasileiro de futebol. O complexo dispõe ainda de um ginásio poliesportivo coberto e de uma piscina de dimensões olímpicas (a única de Niterói).

A vida cultural de Santa Rosa também é significativa. Destacam-se os teatros do Instituto Abel e da Associação Médica Fluminense, e as bandas colegiais do Abel e do Salesianos.

    

              Estádio Caio Martins

       

Edifícios do bairro Santa Rosa