Alterar Região
Categorias

História - O melhor do bairro de Santa Cecília, São Paulo, SP

A história do bairro de Santa Cecília

A história do largo e do bairro de Santa Cecília começou em 1860, quando moradores da região pediram licença à prefeitura para construir uma capela de madeira – o que foi imediatamente aceito. A localidade desenvolveu-se a partir do loteamento de algumas chácaras e, como sempre, a igreja foi o chamariz de novos moradores.

Em 1887, o futuro Largo de Santa Cecília era apenas o campinho de Santa Cecília, limite extremo da cidade e ponto de partida para Campinas. Em 1884 construiu-se a bela mansão de dona Veridiana, nos altos do bairro. Totalmente projetada na Europa, a residência era de estilo renascentista francês, com extensos jardins desenhados pelo paisagista francês Glaziou – era uma das mais belas da capital.

“Largo” é referência à antiga capela de Santa Cecília, feita de madeira, substituída por outra em 1884, também demolida para dar lugar à atual, inaugurada em 1901. Santa Cecília pertencia a Perdizes. Seu crescimento levou à separação. A igreja possui pinturas belíssimas de Benedito Calixto e de Oscar Pereira dos Santos. Conserva também um dos sinos que anunciaram a Independência.

Santa Cecília é considerada a padroeira da música por seu talento com a harpa, por isso, em 22 de novembro, data em que é homenageada, comemora-se o Dia da Música.

Fonte: Subprefeitura Sé; Bairros paulistanos de A a Z – de Levino Ponciano (editora Senac/São Paulo); Site Google