Alterar Região
Categorias

História - O melhor do bairro de Centro, São João de Meriti, RJ

Um Pouco Sobre São João de Meriti

Visão panorâmica do centro de São João de Meriti, na década de trinta, tomada do Morro do Carrapato, vendo-se em primeiro plano o aglomerado urbano, com suas construções humildes, que bem caracterizava o quadro social da época, e ao fundo a torre sineira da Igreja de São João Batista, ainda conservando as características arquitetônicas originais.

Na parte central a praça domina o visual urbano rodeada de árvores e jardim, em meio o coreto completando a reforma realizada pelo Dr. Arruda Negreiros, então prefeito da Cidade de Nova Iguaçu, do qual éramos o 4º Distrito.

Em frente vemos o descampado que seria mais tarde o campo de futebol do Esmeraldo Futebol Clube, fundado por Valério Villas Boas, sendo o mais antigo time de futebol de Meriti.

Ao fundo já começando a ser habitado o morro pertencente ao bairro de Eng. Berford, outrora Engenho do Bananal de propriedade do Major Augusto César, que cedeu parte destas terras para que fossem assentados no sopé do morro os trilhos da linha auxiliar.

A então Vila de Meriti, nestes tempos, já tomava grande impulso no seu crescimento populacional, apesar da decadência do Porto da Pavuna, motivo inicial de seu aglomerado urbano e que ressurgiu neste século com o estabelecimento da linha férrea, razões, que justificam os motivos que levaram a fluir para o entorno da Igreja grandes contingentes de pessoas, na busca das atividades comerciais ou de proteção religiosa.

Apresentação

Todo homem, bem como toda sociedade é filha de seu passado e o encontro deste homem com sua história provoca-lhe muitas das vezes alegria e repulsa. O passado às vezes nos fere ou nos cura, faz-nos rir e chorar, engrandece-nos ou nos amesquinha, enfim, o passado é sempre fruto do amor e do ódio.

Nossa terra é isso. É feita de contrastes e inequivocamente foi construída sob os alicerces da diversidade cultural, num verdadeiro caldeamento étnico.

Aqui floresceu, às margens do rio de águas pequenas e claras chamado "MIRITI", uma sociedade culturalmente diversa, capaz de vencer as intempéries da natureza hostil, de várzeas alagadas, pântanos e de montanhas outrora ocupadas por bravos colonizadores.

Nestas páginas que se seguem, entre um texto e outro, vamos construir um pouco de nosso passado. Nestas fotos e textos procuraremos expressar a verdade histórica.

Prefeitura de São João de Meriti

Construída em 1969 na gestão do Prefeito José de Amorim Pereira, é a sede do Governo Municipal. Aí estão localizadas as Secretarias de Governo, Obras e Urbanismo, Promoção Social, Procuradoria, Fazenda, Cultura, Esporte e Lazer, Meio Ambiente, Planejamento, Educação, Administração e Assessoria de Imprensa. Abriga também a Junta do Serviço Militar. A Prefeitura passou por grande reforma na gestão do Prefeito Antônio Pereira Alves de Carvalho.

É um dos mais belos prédios públicos da Municipalidade. O inchaço populacional no centro de São João de Meriti forçou a sua vinda para Vilar dos Teles, que atraiu a partir de 1970 grande desenvolvimento para esta região.

Fórum de São João de Meriti

Inaugurado em 26 de março de 1981 pelo então Governador Dr. Chagas Freitas, Prefeito na época o Dr. Celestino Cabral, pela Lei nº 7.181 de 18 de Junho de 1973, foi denominado de "Fórum Desembargador Adherbal de Oliveira", por ter sido o mesmo o primeiro juiz quando foi criada a Comarca em 26 de março de 1952.

Com a inauguração do prédio novo passou a chamar-se "Mário Guimarães". Nele funcionam as Varas Cíve, Criminal, Família, Juizados Especiais Cível e Criminal e o Tribunal do Júri e Justiça Eleitoral. Abriga também uma sala para a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Câmara Municipal de São João de Meriti

Prédio inaugurado em 2l de agosto de 1987, na gestão do Vereador Sérgio Luiz da Costa Barros, e como Prefeito o Engenheiro José Cláudio da Silva. É um prédio de construção moderna, com plenário para 150 pessoas. A Câmara conta atualmente com 21 vereadores, que têm funções legislativas e de acompanhamento e fiscalização do Poder Executivo. A Câmara é administrada por uma Mesa Diretora composta por: Presidente, 1º Vice Presidente, Secretário e 2º Secretário e mais as Comissões, responsáveis pelos pareceres nos Projetos de Leis.

64ª Delegacia Policial de São João de Meriti

Inaugurada em 2 de março de 1971, quando Governador Dr. Chagas Freitas e Prefeito Dr. Celestino Cabral, foi seu Delegado na época o Dr. Romem José Vieira. A Delegacia é o órgão encarregado de realizar as operações de investigação e instrução dos atos criminosos ocorridos em sua circunscrição (São João de Meriti).

Justiça Federal

Inaugurada em 3 de outubro de 1998, a sede da Justiça Federal em Meriti é um dado relevante, pois, trata das questões de competência exclusiva. Sua jurisdição abrange Meriti, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, Queimados, Nova Iguaçu, Duque de Caxias.

Posto de Saúde Aníbal Viriato

Outrora pertencente ao Estado, com a municipalização da Saúde, hoje está sob a responsabilidade do Município. É uma importante unidade de saúde preventiva, pois, sob sua responsabilidade está o controle das doenças infectocontagiosas como tuberculose e leptospirose, além dos programas para combate de doenças como a hanseníase. Faz atendimento de pré-natal, laboratório, ginegologia, clínica geral e assistência social. É também do controle deste posto de saúde a questão de higiene sanitária, cuidando da saúde pública municipal.

Centro Cultural Meritiense

Inaugurado em 21 de Dezembro de 1992, para servir de referência cultural para o município. Em 1997, sofreu grandes reformas tanto no sentido físico como em suas atividades. O Centro Cultural abriga oficinas de Dança, Folclore, Violão, Cavaquinho, Teclado, Teatro, Artes Plásticas, Grupo da Terceira Idade, Palestras, Sapateado, Banda de Música, Biblioteca, Comissão de Resgate da História, Exposições de Artes, etc. Essas atividades visa desenvolver uma nova mentalidade cultural, descobrindo talentos e promovendo a sociabilidade em nosso povo.

O Solar dos Teles Ruy Afrânio Peixoto

Considerado o mais imponente solar da Baixada Fluminense, foi o palácio dos Telles construido pelo Comendador Pedro Antonio Telles Barreto de Menezes, nascido em terras de Meriti em 1816 e falecido em 1882.

O casal Comendador Pedro Antonio Telles Barreto de Menezes - Francisca Justiniana de Freitas Telles (por curiosidade diga-se que D. Francisca, de uma familia do Rio Grande do Sul, é aparentada de Luiz Carlos Prestes) teve os seguintes filhos: Pedro, Francisco, Manoel, Antonio e Luiz; e as filhas: Joaquina, Francisca e Ana, a primeira casada com o Prof. Rocha Faria, catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade do Distrito Federal.

Com a morte do Comendador fez-se em 1908 a divisão amigável de suas propriedades, cabendo às três moças prédios no antigo Largo do Paço (hoje Praça 15 de Novembro) como o arco do Telles, o edificio do Taquara, o edificio da atual farmácia Silva Araújo etc., e aos homens partes da fazenda dos Telles. Divergiram, no entanto, os irmãos quanto ao destino do velho solar, e, de tal sorte foram as discussões e os estremecimentos que resolveram deixar o Vilar em condomínio.

Com o falecimento de Pedro Telles Barreto de Menezes ocorrido em 1919, ficou o velho solar totalmente abandonado e alvo de constantes e sucessivos assaltos e depredações.

Nenhum dos irmãos, no entanto, resolveu, temeroso de ser mal compreendido pelos demais, tomar qualquer iniciativa para preservar aquele patrimônio.

Por volta de 1925 desabou umas das paredes do Vilar e, frente ao matagal, ao palácio abandonado, caídos do assoalho do primeiro andar que se inclinara, amontoaram-se diversos móveis repletos de porcelanas e cristais espatifados, quadros a óleo de pintores europeus, pratarias, etc., esmagados por um grande piano. Continuaram os irmãos sem tomar qualquer providência, sendo aquelas riquezas levadas pelos transeuntes que invadiam a casa rapinando o que de dentro dela ficara.

Igreja Santa Rita de Luziê

Localizada em Vilar dos Teles, a Igreja Santa Rita de Luziê foi construída na década de 1950 por um marinheiro de nome João Pereira da Silva (João da Santa). "Contava o mesmo ter nascido em 1º de Janeiro de 1922, na entrada do ano em uma missa campal, na cidade de Ilha de Bispo, no Estado da Paraíba. Sua história começou em 1953, no Domingo de Ramos, João recebeu um aviso de vozes estranhas, para ir ao mar, dirigiu-se ao cais do Porto do Rio de Janeiro, alugou uma embarcação, para conduzir até a Baia da Guanabara, lá chegando ao meio dia, João ouviu os sinos das Igrejas. Repentinamente o mar revoltou-se fazendo remanso em volta da pequena embarcação. João suspendeu-se e ficou olhando para a terra, notou alguma coisa em suas mãos. João olhou e disse: "apareceu uma Santa jogada pelo mar em minhas mãos. Neste momento de aflições, o dono da embarcação, João de Mello, estava muito doente de seus olhos, e foi logo curado". Daí ele trouxe a santa para São João de Meriti, onde morava no Vilar dos Teles, foi perseguido, mas apesar de tudo resistiu. Os milagres provocados pela santa tiveram ampla cobertura nos jornais da época.

Casa da Grota

Localizada em Venda Velha, foi uma fazenda que pertenceu à família de Antônio Teles de Menezes, onde funcionou nas décadas de 1930 / 1940, a Granja Santo Antônio. Encontra-se semi-abandonada mas mantém todas as características originais do século passado: originalidade arquitetônica, assoalhos, forro, lustres, janelas envidraçadas, móveis etc. Foi residência do insigne cidadão dessa terra o Dr. Alberto Jeremias da Silveira Menezes, casado com Dona Dulce da Silveira Menezes, neta do Sr Antônio Teles de Menezes.

Fazenda dos Menezes

 

Localizada no bairro denominado Venda Velha. Outra propriedade construída pela família Teles de Menezes e que ainda guarda o estilo rural de suas linhas originais. São dez cômodos e um varandão colonial. Fica em um outeiro, com ampla área ao seu redor, guardando assim a opulência dos casarões do Império.

 

 

Sítio Carioca 

 

Localizado na rua Piracicaba, também no bairro Venda Velha, foi outra fazenda que pertenceu à família Teles de Menezes. Ocupa uma área de 11.000 m² e foi comprada em fins da década de 1970 e transformada em clube de lazer. Possui um campo de futebol, bosque e uma saudável mina d"agua, que serviu durante muitos anos ao povo da região e ficou conhecida como "fonte carioca".

 

Praça Getúlio Vargas

Conhecida como Praça da Matriz, localizada em frente à Igreja São João Batista, no Centro do Município. Foi inaugurada oficialmente em 10 de março de 1891. Ia da atual Av. Dr. Arruda Negreiros até antigo cemitério que ficava atrás da Igreja Matriz (depois transferido para a Vila Rosali). Esta área foi doada pela família Tavares Guerra, proprietária então da fazenda do Carrapato que cortava o centro da cidade. Na década de 1910, recebeu um coreto em forma de quiosque, demolido por volta de 1953, quando o local sofreu uma de suas primeiras reformas, recebendo bancos, uma panóplia para solenidades cívicas e outras. Depois reformada pelo Prefeito Celestino Cabral em 1982. No entanto, foi na gestão do atual Prefeito Dr. Antônio Pereira Alves de Carvalho que ela teve outra grande reforma, voltando ao seu estilo da década de 50, porém com características de linhas mais suaves, devolvendo ao povo uma excelente área de entretenimento, principalmente aos amantes das cartas de baralho.

Igreja da Matriz

Localizada na Praça Getúlio Vargas, Centro, com a doação de 30 contos de réis e mais a pia batismal, a Princesa Isabel dava início em l875 à construção da Igreja de São João de Meriti. Apoiada pelas famílias tradicionais da localidade como os Tavares Guerra, Telles de Menezes entre outros. Foi inicialmente erguida como capela, pois somente com a chegada dos padres franciscanos à região em l932, passando neste ano a sede da freguesia, a partir daí reformulou-se sua construção, dando-se-lhe características de Igreja Matriz. Acompanhada de grande festa, sua inauguração deu-se em 24 de junho de l938, com a presença do então interventor no Estado do Rio de Janeiro, o Sr. Amaral Peixoto. Aos fundos, ficava o Cemitério da Irmandade do Sagrado Coração, onde hoje funciona o Colégio Fluminense. A área da praça ia desde o cemitério até a Av. Dr. Arruda Negreiros. É constituída de uma grande nave central com capela-mor e coro. Imagens diversas compõem os vitrais. Detalhes em alto relevo nas paredes representam a via crucis. Teto e pilastras decorados. Destaca-se ainda a construção da Torre do relógio nas décadas de 1950/1960. Possui teatro, salões de festa e prédio de residência paroquial. No seu entorno possui algumas lojas que pertencem à Mitra Diocesana. Forma com Duque de Caxias uma Diocese. A Igreja Matriz que conhecemos hoje, nada tem a ver com sua construção original. Com obras de ampliação nas décadas de 50 e 60, perderam-se todas as linhas arquitetônicas coloniais, mantendo-se, porém, ponto de fé e orgulho de sua comunidade.

Antigo Ramal de Linha Férrea e Bairro de Engenheiro Belford

Presta uma homenagem ao Eng. ferroviário Antonio Salles Berfor, em cujas terras foram assentados os trilhos da estrada de ferro, doadas pelo Major Augusto Cesar da Silva Pinto, descendente dos proprietários do engenho do Bananal, nesta localidade.

Estação e Bairro de São Matheus

Anteriormente pertencente ao Engenho de São Matheus (hoje cidade de Nilópolis), depois passou a fazer parte do 2º Distrito de São João de Meriti, sendo construído neste bairro a estação ferroviária de Galdino Rocha. Posteriormente com a eletrificação da ferrovia, foi feita uma nova estação com o nome de São Matheus. Sua pequena praça leva o nome do Governador Roberto da Silveira, recebeu reforma no governo de Ário Theodoro e recentemente do Prefeito Antonio de Carvalho. O bairro deu um de seus filhos ilustres. Pois aqui nasceu, viveu e começou sua vida como comerciante o Comendador Manoel Sendas, em um pequeno armazém com o nome de Transmontano, ficava localizado na Rua Sargento Monçores.

Igreja de São Matheus

Por iniciativa do Frei Erasmo Cleven, O.F.M., no dia 16 de julho de 1953, reuniram-se os católicos da localidade com o objetivo de adquirir um terreno e construir um Salão Paroquial. A Comissão encarregada de construir ficou a cargo dos senhores Sinésio Souza, Abílio H. Corrêa, Raul Cardoso, João Vitalino de Carvalho e Antonieta Colucci Médici. O Bispo de Petrópolis Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra, estando na inauguração e vendo o entusiasmo dos fiéis, confiou o cargo de Vigário ao Padre Paul Jean Guerry, que veio como missionário do Oriente (Indochina), tomando posse em 1956. Trabalhou intensamente com a comunidade católica, com a simpatia de todos construiu a Igreja Matriz de São Matheus, que além do trabalho religioso desenvolveu intensa atividade social, com cursos profissionalizantes para a comunidade.

O Bairro de Éden com Antiga Estação e a Rodoviária Nova

Outrora conhecido como Itinga, criou-se uma lenda que descrevia o aparecimento de uma bruxa em noites de lua cheia (bruxa de Itinga), visando à desocupação da região para especulação imobiliária. O "feitiço virou contra o feiticeiro" e a companhia não vendeu os lotes, obrigando a mudança de nome para Éden, lugar do paraíso. O bairro é cortado pela linha férrea, que já teve seu período áureo, hoje a estação está desativada, porém com o progresso e o intenso movimento o bairro recebeu uma rodoviária e conta com avenidas asfaltadas. Mas a obra marcante foi a construção pelo governo do Estado de uma ampla galeria na Av. Délio Guaraná acabando com um valão existente e resolvendo o problema das enchentes.

A Vila Olímpica

Inaugurada em 14 de janeiro de 1997, após um ano de obras, o Centro Esportivo de São João de Meriti foi recebido pela Prefeitura Municipal de nosso município, de acordo com convênio firmado entre o Governo Federal, através do Ministério Extraordinário dos Esportes e o Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura e Esporte, cabendo a administração do Centro à Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, que implantou o Programa de Esporte Solidário. A Vila Olímpica hoje conta com aulas de Artes Marciais de Judô, Tai-chi-chuan, Karatê, Jiu-Jitsu e iniciação desportiva em Atletismo, Ginástica Olímpica, Futebol de Campo, Basquete, Vôlei, Hand-ball e Capoeira.

 

O Bairro de Agostinho Porto e Sua Igreja

Este bairro presta uma homenagem a um médico da localidade. Anteriormente conhecido como "Coqueiros" por ter sido um sítio com abundância dessas palmeiras, pertencente à família Guimarães. A Igreja denominada Nossa Senhora das Graças, está situada ao lado da praça Castelo Branco. Esta Igreja possui salões de festa e casa paroquial. Suas características arquitetônicas são do tipo clássico italiano seiscentista, no qual foi inspirada e possui um forte sentido de verticalidade. Suas janelas são arcadas com vitrais coloridos. Inaugurada em 17 de novembro de 1949, pelo monsenhor José Boggiani, sua construção foi financiada por benfeitores e pelo próprio religioso.

Posto de Atendimento Médico da Prefeitura 

Sua construção inicialmente foi destinada a ser um hospital para o município. O prédio virou um esqueleto de concreto por mais de 15 anos. Com muita luta da comunidade terminou sua construção com a parceria entre os governos Municipal, Estadual e Federal. Ficou planejado para ser posto de atendimento médico somente, porém as dificuldades do município na área de saúde, acabou fazendo atendimento médico de emergência. É o melhor que temos como referência, com vários programas de atendimento médico, desde ambulatório às emergências.

 

Fonte:
 
www.ipahb.com.br/turismo_sjm.php