Categorias

História - O melhor do bairro de , Taubaté, SP

 

Taubaté


"Capital Universitária do Vale"


Fundação 5 de dezembro de 1645

Gentílico taubateano

Lema  Per aspera pro Brasilia
            "Todo sacrifício pelo Brasil"


Prefeito Roberto Peixoto (PMDB)


Unidade federativa São Paulo
Mesorregião Vale do Paraíba Paulista IBGE/2008
Microrregião São José dos Campos IBGE/2008


Municípios limítrofes Monteiro Lobato, Tremembé, Pindamonhangaba, Caçapava, Redenção da Serra, Lagoinha, São Luís do Paraitinga.


Distância até a capital 123 quilômetros


Características geográficas
Área 625,916 km²
População 270.918 hab. (SP: 25°) - est. IBGE/2008 [2]
Densidade 424,2 hab./km²


Clima tropical de altitude

Indicadores IDH
0,837 (SP: 21°) - elevado PNUD/2000
PIB R$ 4.618.506 mil (BR: 66º) - IBGE/2005
PIB per capita R$ 17.267,00 IBGE/2005


            Taubaté é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo. Localizado na mesorregião do Vale do Paraíba, dista 123 km da capital paulista, 280 km da cidade do Rio de Janeiro, 90 km de Ubatuba, no Litoral e 45 km de Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira. Estando num ponto intermediário entre as mesmas.
          É o segundo maior pólo industrial e comercial da mesorregião, abrigando empresas como Volkswagen, Ford, LG, Alstom e Usiminas, dentre outras, além do Comando de Aviação do Exército. Taubaté é também a terra natal do escritor Monteiro Lobato.
Segundo o IBGE em 2008 o município possui 270.918 habitantes
        O nome da cidade origina-se da língua tupi, e significa aldeia (taba) elevada (ibaté).

História


         Taubaté foi fundada entre 1639 e 1640 e elevada à vila a 5 de dezembro de 1645 pelo então bandeirante Jacques Félix com as sesmarias doadas pela Condessa de Vimieiro. Taubaté inicialmente chamava-se vila de São Francisco das Chagas de Taubaté, o padroeiro da cidade.
       O nome Taubaté deriva de uma aldeia guaianá, encontrada às margens do córrego do convento velho - "taba" (aldeia) "ibaté" (alta) -, onde hoje se situa o bairro do Alto do Cristo. No início, era desenvolvida na vila a cultura de subsistência utilizando a agropecuária, além do bandeirismo.
         Foi no principal período das bandeiras entre 1690 e 1715 que a vila teve uma certa prosperidade com o abastecimento das bandeiras vindo tanto da Vila de São Paulo do Piratininga quanto da própria vila de Taubaté. Isto se deve ao descobrimento de ouro no sul de Minas Gerais pelo bandeirante Antônio Rodrigues Arzão em 1693.
      Passada esta época, Taubaté voltou à agropecuária de sub-existência - que predominou por um século - até a chegada da cultura do café, trazida do Rio de Janeiro.
Taubaté começou a cafeicultura na metade do século XVIII e, em 1900, alcançou a maior produção cafeeira do Vale do Paraíba. Nesta época, a cidade atingiu a maior população do interior do estado, com 36.000 habitantes.
        Em 26 de fevereiro de 1906, na gestão do então Presidente da República Rodrigues Alves, foi assinado o Convênio de Taubaté conjuntamente pelos Presidentes dos Estados (hoje, "Governadores") de São Paulo (Jorge Tibiriçá Piratininga), Rio de Janeiro (Nilo Peçanha) e Minas Gerais (Francisco Antônio de Sales). O convênio tinha como objetivo incentivar a produção de café através do controle das plantações e dos valores das taxas para exportação e para o consumo interno.
         Em 1920, a cafeiculura entra em decadência. O esgotamento dos solos pela prática da monocultura fez com que outras fontes de renda na cidade. A rizicultura, beneficiada pelo Rio Paraíba do Sul, foi uma das alternativas na época.
       O fim do ciclo do café levou a então cidade de Taubaté - título concedido pelo Barão de Monte Alegre no dia 5 de fevereiro de 1842 - a se industrializar devido à fácil comunicação com a Capital Rio de Janeiro e a capital do Província São Paulo. A estrada de Ferro Dom Pedro II - Central do Brasil - e a Rodovia Rio-São Paulo passavam pela cidade.
         O dinheiro proveniente da cafeicultura, a mão-de-obra barata e a eclosão das duas grandes guerras contribuíram para a industrialização do município.
        No ano de 1891 Taubaté teve uma de suas primeiras indústrias, a CTI (Companhia Taubaté Industrial), onde se fabricava "morins" - tecido branco e fino de algodão -, que eram vendidos para grande parte do Brasil. O prédio da antiga fábrica (ou prédio do rélogio) situa-se na Praça Felix Guisard (conhecida como praça da CTI), próximo ao centro da cidade.

 Hino
O hino de Taubaté foi escolhido por membros da Academia Paulista de Letras, em concurso realizado em 1975. A letra é de composição de Péricles Nogueira Santos. A música é de autoria de José Bráulio de Souza. A partitura do hino foi aprovada pela Comissão Municipal de Música em 1985.


Hidrografia
• Rio Paraíba do Sul
• Rio Una
• Ribeirão das Almas

Rodovias
• SP-62
• SP-70
• SP-123
• SP-125
• Rodovia Presidente Dutra 

Relevo
            A maior parte do município (cerca de dois terços de seu território) ocupa áreas de morros e serras onde predominam rochas cristalinas (granito e gnaisses) da Idade Pré-Cambriana (mais de 450 milhões de anos). Essa área se estende da Serra da Piloa para o sul e também em pequena faixa ao norte, precedendo a Serra da Mantiqueira.
          O restante do município, incluindo a área urbana, seus arredores e a região por onde passa o Rio Paraíba do Sul, situa-se na Bacia Sedimentar de Taubaté, com sedimentos terciários e quartenários (aluviões) da Idade Cenozóica (menos de 65 milhões de anos).

Educação
        Taubaté é o centro educacional do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. Tem, por excelência, a melhor qualidade de educação da região. Foi apelidada pela comunidade local de a "Capital Universitária do Vale", considerando-se que comporta várias instituições de ensino superior.

Instituições de ensino superior
• UNITAU - Universidade de Taubaté
• Unianhanguera - Faculdade Comunitária de Taubaté (Instituição do Grupo Anhanguera Educacional)
• ITES - Instituto Taubaté de Ensino Superior
•Faculdade Dehoniana de Taubaté (Insituição de Ensino Superior mantida pela congregação dehoniana)
• UNOPAR - Universidade Norte do Paraná (Pólo EAD)
• UNINTER - Universidade Internacional (Pólo EAD)
• ULBRA - Universidade Luterana Brasileira (Pólo EAD)
• FGV - Fundação Getúlio Vargas (Centro de Pós Graduação)
• ETEP Faculdades - Escola Tecnica Everaldo Passos
• FATECINTER - Fauldade de Tecnologia Internacional (Pólo EAD)

Perfil social
        Taubaté possui em sua maioria bairros de classe média e não existem favelas no município. A renda populacional é de 5 a 10 salários mínimos, apresentando em 2007 uma frota de aproximadamente 116 mil veículos, segundo o DENATRAN, isto é um carro para cada 2,3 habitantes.
         Com uma baixa taxa de mortalidade infantil, se apresenta como umas das melhores cidades para se viver no Brasil (Revista Exame, 4 de abril de 1999).

Esporte
Clubes de futebol
• Esporte Clube Taubaté, clube de futebol brasileiro da cidade de Taubaté.

Divisões administrativas
Distrito
• Quiririm 

Outros dados
• Orçamento do município: 300 milhões de reais (P.M.T 2006)
• Frota de veículos: 116.000 (Fonte: DENATRAN 2007)
• Altitude: 580m acima do nível do mar

Filhos ilustres
• Amácio Mazzaropi - ator que, apesar de ter nascido em São Paulo, fez a sua carreira na cidade, onde se encontra a sua fazenda (onde hoje é o Hotel-fazenda Mazzaropi)
• Cely Campello - cantora e compositora
• Cid Moreira - apresentador de telejornal
• Fêgo Camargo - maestro
• Hebe Camargo - apresentadora de TV
• Monteiro Lobato - escritor
• Abelardo Belarmino - Poeta, escritor, ensaista e dramaturgo
• Antônio Rodrigues Arzão - bandeirante
• Bartolomeu Bueno de Siqueira - bandeirante
• Bartolomeu da Cunha Gago- bandeirante
• João de Siqueira Afonso- bandeirante
• Miguel Garcia de Almeida e Cunha - bandeirante
• Miguel Garcia Velho - bandeirante
• Salvador Fernandes Furtado de Mendonça- bandeirante
• Tomé Portes del Rei- bandeirante
• Antônio Dias de Oliveira- bandeirante
• Francisco Barreto Leme do Prado - bandeirante (fundador de Campinas)
• Domingos Rodrigues do Prado - bandeirante
• Matias Cardoso de Almeida - bandeirante
• José Gomes de Oliveira - bandeirante
• José Pereira da Silva Barros - Conde de Santo Agostinho
• José Francisco Monteiro - Visconde de Tremembé
• José Félix Monteiro - Visconde de Moçoró
• Mariano José de Oliveira e Costa - Barão de Pouso Frio
• Manuel Gomes Vieira - Barão de Pedra Negra
• Antônio Vieira de Oliveira Neves - Barão de Taubaté
• Jordão Pereira de Barros - Barão de Pereira de Barros
• Davi Lopes da Silva Ramos - Barão de Jambeiro

 

Conheça o Turismo em Taubaté

Museu de História Natural
Inaugurado em 02 de julho de 2004 pela Prefeitura Municipal de Taubaté, e administrado pela Fundação de Apoio à Ciência e Natureza (FUNAT), o Museu tem em seu acervo milhares de peças, desde grandes dinossauros, extintos há cerca de 65 milhões de anos, até pequeninos insetos. Ali é possível compreender a História da vida do planeta Terra, através das eras e períodos geológicos, bem como a evolução dos animais e do homem, através de uma viSão científica e simples. O Museu da História Natura conta ainda com auditório para 100 pessoas e dois dioramas, com fauna e flora que se integram em paisagens da Mata Atlântica e do Vale do Paraíba.
Local: Rua Juvenal Dias de Carvalho, 111
Jardim do Sol, ao lado do Museu de História.
 

Alto do Cristo Redentor
Situado em uma das colinas que ficam ao sul da cidade encontra-se a bela e imponente estátua do Cristo Redentor. Majestosa e alva imagem com 13 metros de altura assentada em um pedestal de 8 metros cujo interior abarca a Capela de Nossa Senhora da Paz. Nessa capela há um formoso mural, executado pelo artista campineiro Camargo Freire e dedicado à veneração de Nossa Senhora da Paz, réplica do original existente na Catedral de Salvador, na Bahia, oferecido pelo Papa Pio VII ao beato Inácio de Azevedo, chefe dos quarenta Mártires do Brasil. Venera-se ainda, em seu interior, as devoções a São José e São Judas Tadeu. Circundando o monumento há uma aprazível praça pública de onde se descortina uma maravilhosa vista da cidade de Taubaté, da sobranceira Mantiqueira, da qual se destaca, fronteiriça, a célebre “Garganta do Piracuama”, hoje acesso orográfico a Campos do Jordão e, no passado, o portal para as minas auríferas. Sua inauguração deu-se em 31 de março de 1956 - Sábado de Aleluia - exatamente à meia-noite, quando o bispo Dom Francisco Borja do Amaral acionando a chave comutadora do circuito elétrico inundou a praça num mar de luzes onde surgiu em toda plenitude de sua beleza a imagem do Cristo como o PAI Amoroso de seus filhos taubateanos. Fixada no pedestal do monumento está a placa de bronze com a inscrição: “Para os que O olharem de perto ELE será um convite à contemplação da beleza e do amor e à concentração revigorante para os bons princípios e boas resoluções. Para os que O olharem de longe ELE será um convite perene à vitória pelo bem e pela vontade” - palavras que resumem a essência da alma taubateana.

 

Chácara do Visconde
Entre os iNúmeros vultos proeminentes taubateanos encontra-se o Visconde de Tremembé. Nascido José Francisco Monteiro, abastado fazendeiro de café e homem de negócios, foi chefe político respeitado e prestigioso do Partido Liberal na segunda metade do século XIX.. Dentre suas inúmeras fazendas e propriedades urbanas havia uma chácara com dezenove alqueires de terras, situada no antigo bairro da Estiva, em parte murada e plantada de árvores frutíferas e cafezais compreendendo também pasto e matas, uma casa de morada, forrada e assoalhada, envidraçada, duas casas para empregados e outras dependências: cocheiras, tulhas e casa para carros. Foi nesse cenário maravilhoso que, Monteiro Lobato, seu neto, recordando sua infância passada ao lado do estimado avô, inspirou-se para escrever a mais linda e lúdica saga da literatura infantil brasileira - o Sítio do Pica-Pau-Amarelo - que, com seus personagens e peripécias, cria a magia de aproximar e encantar crianças e adultos; as primeiras em busca de um alegre conhecimento do mundo lobateano e os segundos pelo resgate do universo infantil de sua infância. Tombado pelo ISPHAN (1969) parte dessa antiga propriedade, agradável Área verde, hoje encravada em pleno perímetro urbano, sob orientação do CONDEPHAAT e Prefeitura Municipal abriga o MUSEU HISTÓRICO PEDAGÓGICO MONTEIRO LOBATO. Com um acervo bibliográfico, mobiliário e a exposição iconográfica “Presença de Lobato” enriquece o patrimônio cultural da cidade de Taubaté.

 

Museu da Capela do Pilar
A Capela do Pilar, terceira edificação religiosa a ser construída no perímetro urbano da vila de São Francisco das Chagas, é uma das jóias da arquitetura colonial em nosso Estado, ainda hoje intacta na pureza de seu estilo. Foi erigida a partir de 1748 por Timóteo Correa de Toledo, taubateano da tradicional família paulista dos Toledo Piza, descendente dos Condes de Oropeja e dos Duques de Alba de Tormes, de Espanha. Casou-se com Úrsula Izabel de Mello, e dessa união foram concebidos vários filhos, dentre os quais destacaram-se o Padre Bento Cortez de Toledo, o Padre Carlos Correa de Toledo e Mello, Luiz Vaz de Toledo, os dois últimos envolveram-se com a Conjuração Mineira. Assim sendo, as centenárias taipas da Capela do Pilar São testemunhas mudas da epopéia do grande momento da História do Brasil: a Conjuração Mineira. A Capela de Nossa Senhora do Pilar é uma raridade quanto ao seu estilo arquitetônico e decorativo, sendo um exemplar da arquitetura barroca de influência mineira, situada fora de seu local de origem, assemelhando-se com duas capelas mineiras - a de Nossa Senhora do Ó, construída na cidade mineira de Sabará e a de São Francisco, edificada em Caeté (MG), ambas também do século XVIII. Através de um convênio celebrado entre a Mitra Diocesana e a Prefeitura Municipal, nessa capela foi instalado o Museu de Arte Sacra de Taubaté, solenemente inaugurado em 23 de dezembro de 1985 na presença do Ex.mo Sr. Bispo diocesano, D. Antônio Afonso de Miranda e o Prefeito Municipal Dr. José Bernardo Ortiz. Seu acervo é composto por imaginária sacra, prataria religiosa, retábulos, altares e vestimentas sacras. Anualmente promove exposições temporárias como a de S.Francisco (outubro) e a de Presépios (dezembro), onde o munícipes interagem através de empréstimos de peças valiosas assim como visitando e prestigiando os eventos.

 

DiviSão de Museus, Patrimônios e Arquivos Históricos
A doze de dezembro de 1975 foi criada a DiviSão de Museus, Patrimônio e Arquivo Histórico de Taubaté, vinculada ao Departamento de Educação, Cultura e Esportes do município. Consiste na reunião administrativa de todos os Museus que, orgulhosamente, a cidade possui: Museu Histórico “Professor Paulo Camilher Florençano”, “Pinacoteca Anderson Fabiano”, Museu da Imagem e Som de Taubaté, Museu da Tecnologia Rural, Museu dos Transportes, Arquivo Histórico “Dr. Félix Guisard Filho” cujo acervo é composto por documentos cartorários datados a partir de 1645, Hemeroteca “Antônio Melo Júnior” com jornais da terra desde 1861 e uma excelente Biblioteca pública, detentora de um acervo bibliográfico estimado em mais de 55.000 livros, freqüentada por alunos de todos os níveis de escolaridade, como também por professores e pesquisadores da cidade, da região valeparaibana e de inúmeras outras partes do Brasil. Com exceção das capitais, raras São as cidades do interior do país que possuem um complexo cultural dessa magnitude. Essa riqueza cultural vem sendo carinhosamente cuidada e incrementada pelo poder público municipal reconhecedor do destino histórico-cultural da terra taubateana. Em 1988 foi inaugurado o prédio especialmente construído para sua definitiva instalação. Situado no Jardim Ana Emília, à rua Thomé Portes Del Rey, 925, a imponente construção evoca os grandes casarões das ricas fazendas de café do Segundo Reinado. O visitante transpondo a entrada do prédio atravessa o pórtico do tempo! Através de um espaçoso salão onde está instalado o Museu “Prof. Paulo Camilher Florençano” ele descortina a História de Taubaté.

 

Catedral de São Francisco das Chagas
(Orago da cidade) - O primeiro edifício da Matriz foi construído por Jaques Félix e seus seguidores em 1640 e anos imediatamente seguintes, para que pudessem ter assistência religiosa. Era uma pequena igreja localizada no lugar onde hoje está a Capela dos Passos, anexa à Catedral. O templo maior, com dimensões aproximadas às da Catedral de hoje e com a mesma localização, foi erigido posteriormente. Começou a ser edificado ainda no final do seiscentismo ou início do século XVIII e foi concluído por volta de 1800. A edificação da igreja, os ornamentos da capela-mor, as pinturas, molduras e entalhes foram, ao longo do tempo, algumas das prioridades dos edis coloniais, uma vez que ficaram registrados o zelo e preocupação que os mesmos dedicavam a ela. Em 1827 foi nitidamente pintada por Debret, quando de sua passagem pela vila. Durante o século XIX recebeu diversos reparos e reformas, que não mudaram sua arquitetura original. Infelizmente, em uma reforma iniciada por volta de 1940 e concluída em 1950, a velha matriz foi desfigurada. Embora mantidas externamente as linhas primitivas, seu interior perdeu todo o caráter colonial, permanecendo apenas o retábulo do altar-mor, com ricos lavores e ornatos em madeira entalhada - o mesmo que lá existe até hoje. Em 1963, o bispo diocesano D. Francisco Borja do Amaral fez instalar em seu interior um grande órgão tubular com transmisSão pneumática, construído por J. Edmundo Bolin. Em 1985 o órgão foi restaurado pelo organeiro José Carlos Rigatto.

 

Rua Imaculada
Como é mais conhecida a rua Imaculada Conceição, situada numa colina ao sul da cidade. Afamada pelas festas de caráter folclórico, pelo belo artesanato popular, e pela “Igreja de Nossa Senhora Imaculada Conceição”. Nessa rua e suas travessas, em suas casas, poderão ser vistos em plena atividade os figureiros, esses artistas primitivos, autênticos criadores de arte popular, plena de expresSão, senso artístico, percepção e originalidade. CASA DO FIGUREIRO - exposição e venda permanente de artesanato.

 

Convento Santa Clara
Fundado em 1674 por frades franciscanos - está situado em ponto elevado de onde se descortina bonito panorama da cidade. Da arquitetura original conserva ainda a interessante torre sineira.

 

Mercado Municipal
Tradicional feira de frutas, verduras e produtos dos sítios da periferia da cidade, inclusive artesanato, doces e quitutes caipiras (estes, geralmente aos sábados e domingos). Aberto diariamente.

 

Pátio da Breganha
Uma das mais interessantes feiras populares da cidade. Trata-se de um “Marchê aux pouces” caipira, pois nela tudo se troca (breganha-se) ou vende-se: antigüidades, relógios de todos os tipos, discos, ferro-velho, objetos de uso doméstico, etc. Fica nas imediações do Mercado Municipal, em Área reservada: funciona nas manhãs domingueiras (das 6:00 às 13:00 horas).

 

Santuário e Praça Santa Teresinha
O belo templo apresenta a imponência e a harmonia das linhas arquitetônicas de estilo neo-gótico. Possui precioso Relicário da Santinha de Lisieux. Seu altar-mor ostenta artístico grupo de imagens confeccionadas na Espanha. A Praça do mesmo nome apresenta bonito paisagismo, com belas árvores destacando-se exemplares de cerejeiras ofertadas pela colônia nipônica, por ocasião das comemorações do 70º aniversário da chegada dos primeiros colonos japoneses.

 

Capela de Nossa Senhora da Piedade do Bom Conselho
Construída em fins do século XIX, dentro do “Ecletismo”, com laivos de estilo “Rococó”. Era a capela do tradicional “Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho”, hoje extinto. O conjunto arquitetônico foi incorporado à Universidade de Taubaté.

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário
(Antiga Capela de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos) - Construção original de primórdios do século XVIII depois reformada e ampliada em meados do século XIX. Em linhas singelas, é toda de taipa-de-pilão e apresenta-se como motivo de interesse para os estudiosos de arquitetura sacra tradicional da região.

 

Museu da Imigração Italiana
Casarão dos Indiani (Quiririm) - Construído pelos irmãos Indiani em 1903 e restaurado para abrigar o rico acervo sobre a cultura italiana. Localiza-se no Distrito de Quiririm, a 200 m do trevo que liga Taubaté a Campos do Jordão.

Museu Mazzaropi
Localizado no Hotel Fazenda Mazzaropi, próximo à Fazenda Santa onde Mazzaropi produziu a maioria dos filmes, contém um acervo cinematográfico com 32 filmes e uma grande quantidade de fotos do ator Mazzaropi, objetos e alguns cenários.

Parque Municipal do Vale Itaim
É o mais novo atrativo turístico de Taubaté. Conta com 1.7000.00 m² de Área verde onde podem ser encontradas espécies típicas de fauna brasileira com ipê e o pau-brasil. Abriga atrações alusivas à cultura regional, tais como Monteiro Lobato, Mazzaropi, tropeirismo e ainda mirante, restaurante, passeio de Maria Fumaça, Área de artesanato regional, pista de skate e Área para pic-nic.
Local: Av. São Pedro, nº 2000 - Itaim.
Tel.: (12) 3633-5008